Rio-2016

Vôlei masculino do Brasil enfrenta Argentina por vaga na semifinal

Clássico sul-americano será nesta quarta-feira

Luana Ponsoni
Luana Ponsoni
Publicado em 16/08/2016 às 17:32
CBV/Divulgação
Clássico sul-americano será nesta quarta-feira - FOTO: CBV/Divulgação
Leitura:

Depois de um primeiro jogo eliminatório, mesmo que ainda na fase de grupos, a seleção brasileira masculina de vôlei chega verdadeiramente à fase de mata-mata dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro e o adversário nestas quartas de final será a Argentina.  O confronto será nesta quarta-feira (17), às 22h15, no ginásio do Maracanãzinho.

Os outros duelos das quartas de final serão entre Canadá e Rússia, que se enfrentarão no primeiro jogo desta quarta, às 10h. Depois, às 14h, será a vez de Estados Unidos x Polônia. O terceiro duelo do dia será entre Itália e Irã, às 18h. Brasileiros e argentinos encerram a programação desta fase de onde sairão os quatro semifinalistas dos Jogos Olímpicos.

A Argentina chega com quatro vitórias e uma derrota na fase classificatória e 12 pontos conquistados. O Brasil teve três resultados positivos e dois negativos e garantiu a vaga com 9 pontos. Diante de um equilíbrio grande entre os oito classificados, nenhum chega invicto. Os quatro eliminados foram França e México, do Grupo A, e Egito e Cuba no B.

O levantador e capitão do Brasil, Bruninho, alerta para o cuidado que o grupo tem que ter para não se empolgar além do necessário com o bom resultado contra a França. Os gritos de "o campeão voltou" da torcida também não podem comover os jogadores.

"Foi um passo. Foi a primeira final. Antecipamos um pouco o nosso mata-mata e temos que pensar em um passo de cada vez. Todos estão vendo o equilíbrio que está havendo na competição, um perde e ganha grande, muitas equipes jogando em alto nível, então, não podemos nos deixar levar pelo resultado de ontem, nem mesmo por essa torcida maravilhosa, que tem nos apoiado o tempo todo", afirmou Bruninho.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias