RIO 2016

Investigação da polícia aponta que nadadores americanos não foram assaltados no Rio

Imagens de câmeras de segurança revelam que nadadores se envolveram em uma confusão após supostamente depredarem um estabelecimento

JC Online
JC Online
Publicado em 18/08/2016 às 13:50
Foto: Internet/reprodução
Imagens de câmeras de segurança revelam que nadadores se envolveram em uma confusão após supostamente depredarem um estabelecimento - FOTO: Foto: Internet/reprodução
Leitura:

Com a ajuda das imagens de câmeras de segurança de um posto de gasolina no bairro da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, a Polícia Civil revelou que os naddadores norte-americanos Jack Conger, Gunnar Bentz e Ryan Lochte não foram vítimas de assalto cometido por policiais na cidade durante os Jogos Olímpicos. De acordo com a polícia, os atletas se envolveram em uma confusão com seguranças do estabelecimento após, supostamente, terem feito depredações no banheiro do local.

Segundo uma agência de notícia norte-americana, uma fonte na polícia teria confirmado que os nadadores Jack Conger e Gunnar Bentz, impedidos de embarcar em um voo para os EUA nesta quarta (17), admitiram que o nadador Ryan Lochte mentiu sobre o assalto.

Confusão

Informações do Portal G1 dão conta de que, na delegacia, os seguranças contaram que um taxista parou no posto com quatro homens no carro. Ele reconheceu o nadador Ryan Lochte como um dos atletas que estavam no veículo. A testemunha ainda relatou que foi chamada pelo gerente para conter uma confusão nos fundos do posto de gasolina. Ao chegar no banheiro encontrou a saboneteira, a papeleira, a placa informativa e a porta danificadas.

Os nadadores pegaram um táxi para conseguirem sair do estabelecimento após a confusão. O motorista obedeceu então a ordem do segurança para aguardar a chegada da polícia, e, por conta da demora, o segurança teve que apontar uma arma contra os ateltas por estarem agressivos. Um acordo foi feito entre os americanos e os responsáveis pelo posto para que o prejuízo fosse pago. Os americanos teriam oferecido US$ 20 e R$ 100 para pagar os danos do banheiro e foram embora.

Ryan Lochte foi o único dos atletas envolvidos que conseguiu deixar o País. Nos EUA, ele deu uma entrevista à rede de TV norte-americana NBC. O atleta reafirmou ter sido assaltado, junto com três colegas da equipe de natação olímpica americana, mas deu detalhes diferentes das dadas em depoimento à polícia do Rio e à outra rede de TV.

A polícia vai enviar por ofício ao FBI uma relação de perguntas para que o 12 vezes medalhista olímpico Ryan Lochte responda, dos EUA, por carta precatória.

Em nota, o Comitê Olímpico Americano informou que o time de natação deixou a Vila olímpica logo após o fim das competições e que, por questões de segurança, não poderia confirmar a localização de cada atleta.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias