Tricolor

Itamar Schulle fala em tempo pequeno para Santa Cruz montar elenco

Apesar disso, treinador ressaltou confiança no trabalho da diretoria em busca de reforços

klisman
klisman
Publicado em 04/12/2019 às 7:52
Notícia
Foto: Filipe Jordão/JC Imagem
Apesar disso, treinador ressaltou confiança no trabalho da diretoria em busca de reforços - FOTO: Foto: Filipe Jordão/JC Imagem
Leitura:

O Santa Cruz terá que correr contra o tempo para acelerar o processo de contratações e planejamento para 2020. O que “emperrou” os avanços foi a necessidade de esperar o fim da Segunda Divisão para que Schulle chegasse para assumir a equipe. Agora com o comandante no Arruda, será feito um trabalho intensivo em busca da resolução de atletas que interessam para renovar, além de dar o aval para que reforços sejam contratados. 

“O tempo sempre é pequeno para nós. Mas quando temos pessoas com capacidade de fazer essas contratações, com tem o Nei (Pandolfo) e as demais pessoas que integram a direção, vamos conseguir montar o elenco e começar a trabalhar ele o mais rápido possível. Sempre agregando valores a esse grupo para começar o mais rápido possível, e estarmos no melhor momento para começar as competições. Gradativamente vamos crescendo e evoluindo conforme os jogos forem acontecendo”, avaliou Itamar.

O planejamento do Santa Cruz para começar a próxima temporada passa pela reapresentação do elenco. Marcada para o dia 10 de dezembro, próxima terça-feira, o clube espera iniciar trabalhos com um número em torno de 20 atletas. Entre eles o atacante Pipico e o zagueiro Danny Morais, únicos atletas de 2019 que já renovaram contrato. Soma-se também neste grupo os jogadores que devem permanecer vindos do Sub-23 e Sub-20, que disputaram o Brasileirão de Aspirantes, Campeonato Pernambucano de Juniores e Copa Pernambuco ao longo deste segundo semestre.

SEM RÓTULO

Em trabalhos anteriores de Itamar Schulle, uma das suas marcas era a de ser um treinador exigente. Que cobra sempre uma postura profissional de seus atletas para cumprir suas obrigações. Explicando que, para ele, não se acha um técnico "linha dura", como rotulado em outros clubes. Mas que faz questão de tal postura para que se alcance os objetivos propostos pela direção e comissão técnica para a temporada.

"O futebol tem que ter disciplina, não se trata de ser linha dura. É como numa empresa, você não chega na hora que quer. Se tem um horário determinado, você deve chegar. Você tem que trabalhar cada vez mais, é com estudar. A sorte para mim não existe. Quanto mais você treina, mais disciplina tem. Ter cuidado com a sua profissão por ser uma pessoa pública, nós temos deveres para com o clube. Isso não se trata de ser linha dura, se trata de ser profissional. Porque você tem que abrir mão de algumas coisas e tem que ter um alto grau de profissionalismo. Nesse período você tem que ter muita disciplina, trabalho e treinamento para que os objetivos de todos sejam alcançados, passando pelo coletivo. Mas é como falo para os atletas, quanto mais você se prepara, mais próximo está do sucesso", finalizou. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias