ATRASOS

Funcionários do Sport estão com cerca de cinco meses de atraso salarial

O clube rubro-negro deve dois meses referentes a 2019 e três do ano passado. Alguns trabalhadores não receberam 13º salário e nem férias de 2018

Filipe Farias
Filipe Farias
Publicado em 14/06/2019 às 20:13
Notícia
Foto: JC Imagem
O clube rubro-negro deve dois meses referentes a 2019 e três do ano passado. Alguns trabalhadores não receberam 13º salário e nem férias de 2018 - FOTO: Foto: JC Imagem
Leitura:

Se por um lado o elenco rubro-negro está com os salários em dia, os funcionários do Sport estão passando por uma situação bastante delicada. Isso porque o clube da Praça da Bandeira deve os vencimentos de outubro, novembro, dezembro, 13º salário de 2018 e alguns não receberam o valor equivalente às férias. Nesse ano os atrasos continuam e os funcionários leonino ainda não receberam os meses de abril e maio desse ano.

"Situação do Sport é difícil, mas todo mundo sabe que a gente pegou o clube com quatro meses de salários atrasados. Eu só não quero que em momento algum venham a responsabilizar a atual gestão. Nós fazemos parte da solução e não do problema. Não criamos essa situação e nem estamos tratando isso com desleixo tudo isso que o clube está passando", afirmou Milton Bivar, em entrevista ao repórter Antônio Gabriel, da Rádio Jornal.

A expectativa da direção leonina é que uma folha salarial dos funcionários seja paga na próxima semana, para amenizar a situação interna no clube.

REDUÇÃO SALARIAL

A reportagem do Jornal do Commercio apurou que alguns funcionários do Sport chegaram a ser procurados pela direção leonina e que propuseram uma redução salarial e um novo vínculo empregatício, no caso, como Pessoa Jurídica. A maioria dos empregados do clube se recusou.

Durante a tarde desta sexta-feira (14), circulou nas redes sociais uma nota, supostamente redigida por um grupo de funcionários do Sport, em que eles relatam a delicada situação financeira que atravessam e pedem ajuda a sócios e torcedores rubro-negros. "Eu vi o teor da nota, mas ela é apócrifa (suspeito/ falso), pois ninguém assina", declarou Milton.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias