documento

Sport mostra contrato com Magrão e diz que queria goleiro por mais tempo

O clube publicou o documento em seu site oficial

Karoline
Karoline
Publicado em 12/07/2019 às 13:41
Notícia
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
O clube publicou o documento em seu site oficial - FOTO: Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leitura:

Com o objetivo de encerrar, ao menos dentro do clube, o assunto "Magrão", o Sport emitiu no início da tarde desta sexta-feira (12) uma nota em seu site oficial, com o termo aditivo do contrato do goleiro, assinado no dia 6 de fevereiro deste ano, anexado. No documento, a alteração pode ser vista no tópico C.1, referente ao valor de cessão e maneira de pagamento, firmando um acordo entre as partes de renegociação da dívida do Leão com o arqueiro.

A cópia do termo aditivo esclarece que o clube ficou obrigado a pagar ao goleiro R$ 40.744,77 até o dia da assinatura do documento; mais R$ 40 mil até o dia 20 de fevereiro; além de 36 parcelas mensais de R$ 49.187,24, do dia 20 de março deste ano até 20 de fevereiro de 2022. O contrato profissional de Magrão com o Sport se encerrava no final do ano que vem.

"A notícia da interpelação judicial por parte do jogador e quebra unilateral do acordo firmado no início de fevereiro nos causou surpresa e espanto, pois planejávamos um futuro longínquo de Magrão no Clube, em qualquer função que ele almejasse", disse o clube, no comunicado.

Por fim, o Sport afirmou respeitar a decisão do goleiro e que firmou acordo na justiça para quitar o débito com o jogador. "E deseja muita sorte ao sempre ídolo Magrão. O Sport dá por encerrado este assunto", completa a nota.

O CASO

Depois de mais de 14 anos defendendo o Sport, o goleiro Magrão não se reapresentou após o recesso do clube na pausa do Campeonato Brasileiro da Série B para a Copa América. Ele entrou com uma ação para cobrar atrasos salariais e também a rescisão de contrato. O processo veio a tona no dia 25 de junho.

Inicialmente em segredo de justiça, a juíza Maria Carla Dourado de Brito Jurema quebrou o sigilo do processo. O goleiro cobrava o valor de R$ 5.016.853,16, referentes ao não recolhimento do FGTS, salários atrasados (na CLT), direitos de imagem, férias, 13º e premiações relacionadas aos anos de 2010 a 2019.

No acordo, o Sport ficou de pagar R$ 1,875 milhão ao arqueiro em 44 parcelas, de R$ 42.613, além de rescindir o contrato de Magrão com o clube. Caso o Rubro-negro atrase o pagamento por cinco dias, há uma multa de 100% do valor. O pagamento deve começar a ser feito em agosto, com vencimento nos dias 20.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias