Rubro-negro

Milton Bivar diz que há grupo conturbando ambiente do Sport com caso Diego Souza

Presidente concedeu entrevista ao comentarista Ralph de Carvalho, na Rádio Jornal

klisman
klisman
Publicado em 07/01/2020 às 11:08
Notícia
Foto: Anderson Stevens/Sport
Presidente concedeu entrevista ao comentarista Ralph de Carvalho, na Rádio Jornal - FOTO: Foto: Anderson Stevens/Sport
Leitura:

O presidente do Sport, Milton Bivar, rasgou o verbo e detalhou a situação interna do clube com relação ao retorno do meia Diego Souza. Em entrevista nesta terça-feira (07) a Ralph de Carvalho, no Bate-Rebate da Rádio Jornal, o presidente leonino mencionou que há um grupo dentro do clube que tem buscado conturbar a situação política do Rubro-negro. Acusou também que o intuito é de jogar a torcida contra sua gestão, acusando-a de ser contra a repatriação do ídolo, que toparia receber dentro dos valores que o Leão pode pagar.

"Isso aí é uma coisa que está me deixando muito chateado, mas infelizmente faz parte e a gente tem que entender. Um grupo, aquele mesmo do ano passado. Eu falo em bando e você tem bem claro o bando de filhos da p… O único objetivo é jogar a torcida contra a direção. Inventaram que já teve acerto com Diego Souza, ‘que o Sport não fechou com Diego Souza porque Wanderson Lacerda não quis, Milton Bivar não quis. Porque conversaram e Diego Souza deu um desconto de não sei quantos mil para vir jogar no Sport, porque ama o Sport, está tudo certo, e não contrataram por isso e a torcida está aí… O presidente não quer o jogador’.  Não se trata disso! É uma armação feita por filhos da p… com o objetivo de jogar a torcida contra a direção do Sport chegando a ponto de usarem de mentiras", desabafou.

MUITO DINHEIRO

Outro fato ressaltado por Milton Bivar é o grande entrave financeiro para o retorno de Diego Souza. De acordo com o presidente, o salário do jogador era de R$ 600 mil no Botafogo. Para acertar com o Leão, teria que reduzir, no mínimo, para R$ 150 mil. Uma redução de 75% do que ele recebia em 2019. Caso que, na visão de Bivar, é algo que ele nunca viu em sua história dentro do futebol.

"É um bom jogador, tem serviços prestados ao Sport e, se tivesse que vir, seria dentro das condições que o Sport pode pagar. Fato é que ano passado se procurou ele para vir para cá, mas ele teve uma oferta de R$ 600 mil por mês para o Botafogo, e ele preferiu o Botafogo. Agora ele está em um imbróglio de dinheiro para receber em um contrato que recebia R$ 600 mil. Por mais que se queira dar um desconto, um salário cair para R$ 130 mil, R$ 150 mil, é um desconto de R$ 450 mil. Eu, em vários anos de futebol, nunca vi isso! Em dois anos, ele (Diego Souza) teria um prejuízo de R$ 10 milhões. Você acha que um jogador de futebol teria um prejuízo de R$ 10 milhões por ano para jogar no Sport?", indagou o mandatário.

Diego Souza, que rescindiu o contrato com o Botafogo, não chegou a ter nenhuma conversa com a diretoria rubro-negra sobre sua contratação. Contudo, apesar de duvidar que Diego Souza reduza drasticamente o seu patamar salarial para voltar o Recife, Milton Bivar declarou que o atleta seria bem-vindo ao clube. Mas ressaltou também que, atualmente, não pode dar uma resposta se quer ou não o meia-atacante.

"Eu não vou dizer isso porque não posso dizer para um atleta seja A, B ou C, não posso dizer que não quero. O jogador interessa dentro das condições que o Sport pode pagar. Se for fora, ninguém vai jogar no Sport neste ano. Seja Diego Souza, A, B ou C. Para jogar no Sport neste ano tem que vir para a ponta do lápis se posso pagar. Tem que estar com vontade e se enquadrar dentro das nossas normas. O Sport não é casa de festejos para o jogador vir para cá e fazer o que quiser", acrescentou.

LADO DO JOGADOR E CRÍTICAS À GESTÃO PASSADA

O presidente rubro-negro comentou que Diego Souza, neste momento, tem que pensar nele. Abrindo mão de um salário como recebia no Botafogo, para os moldes do que o Sport pode pagar, não seria o melhor pensando em sua reta final de carreira. Além disso, ressaltou que não vai cometer irresponsabilidades financeiras durante sua administração. Neste caso, citou casos como o do zagueiro Ronaldo Alves e do volante Rithely, em que o Sport renovou com ambos por um alto valor e depois não teve condições de arcar com os vencimentos.

“Primeiro o cara tem que pensar nele, porque tem uma certa idade e não abriria mão dessa receita. Para jogar no Sport não teria problema nenhum, seria bem-vindo, mas dentro da condições que o Sport pode pagar. O Sport não é casa de mãe Joana, acabou. Onde o Ronaldo Alves renovou por três anos recebendo R$ 230 mil. Totalmente fora de preço de mercado. O problema com Rithely que compraram 50% dos direitos econômicos por não sei quantos milhões e não pagaram. Era uma série de desmandos seguidos e a gente está tomando agora. Sou eu que vou pegar, porque fizeram uma campanha. Um bando de cabra safado que se dizem torcedores do Sport, e não são, fazendo campanha em rede social jogando a torcida contra a diretoria. Não é justo. Eu tenho os meus limites, mas eu não abro”, lembrou Milton Bivar.

“A torcida gosta dele como jogador e ela, abastecida até por robôs em redes sociais que esse cara tem, fazendo campanha em cima com objetivo de usar inocentes, parte da torcida do Sport que não tem muito conhecimento, para enganar a torcida e nada mais que jogar a torcida contra a gestão. Eu sei que o jeito de eu ser incomoda muitos, não tenho dúvida. Mas não abro mão para esse bando de filho da p…”, concluiu.

OUÇA A ENTREVISTA DE MILTON BIVAR

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias