Campanha

Campanha no Rio atua contra o desaparecimento de crianças no Carnaval

Serão distribuídos panfletos educativos e 12 mil pulseirinhas de identificação com o nome da criança, dos responsáveis e do telefone para contato

Da ABr
Da ABr
Publicado em 12/02/2015 às 16:00
Foto: Fernando Maia/ Riotur
Serão distribuídos panfletos educativos e 12 mil pulseirinhas de identificação com o nome da criança, dos responsáveis e do telefone para contato - FOTO: Foto: Fernando Maia/ Riotur
Leitura:

O período do Carnaval movimenta um número grande de pessoas na cidade aumentando os fatores que contribuem para o desaparecimento de crianças e adolescentes. Para evitar que o número de ocorrências cresça, o SOS Crianças Desaparecidas, vinculada a Fundação para a Infância e Adolescência, e a Polícia Civil promovem até o fim da tarde de hoje (12), uma ação na Rodoviária Novo Rio, na capital fluminense. O objetivo é alertar os pais para a necessidade de reforçar à atenção com as crianças e adolescentes durante o carnaval.

Serão distribuídos panfletos educativos e 12 mil pulseirinhas de identificação com o nome da criança, dos responsáveis e do telefone para contato. A escolha do terminal rodoviário deve-se ao grande fluxo de passageiros que chegam para o carnaval no Rio ou que resolvem passar o feriado fora da capital fluminense.

O coordenador do SOS Crianças Desaparecidas, Luiz Henrique Oliveira, recomenda que os pais, antes de sair de casa, “colocaquem um crachá com nome, telefone e ensinem a criança o telefone e o endereço de casa”. Segundo ele, o desaparecimento de menores está ligado ao consumo de bebidas alcoólicas e aos eventos com grandes aglomerações de pessoas.

"Tem pessoas que se distraem nesse momento de festa e as que utilizam bebidas alcoólicas. E a criança acaba sendo vítima de um desaparecimento temporário. Nós queremos evitar esse transtorno” destacou o coordenador.

Para o metalúrgico Milton Carlos, de 41 anos, que viajava com a sua filha, é importante orientar as crianças antes de sair de casa. "Esse tipo de campanha é importante e ajuda muito na hora que a criança se perde. Essa identificação é necessária. Graças a Deus eu nunca passei por isso e falo para minha filha, de 12 anos, que se ela se perder é para pedir ajuda a algum guarda e entrar em contato com a gente”.

A Delegacia de Descoberta de Paradeiros foi inaugurada em setembro do ano passado. As autoridades policiais começarão a avaliar, a partir deste carnaval, o número de crianças e adolescentes desaparecidos no período de festas. Os policiais civis ofereceram orientações sobre o registro de ocorrência policial.

Uma das principais recomendações é o registro imediato dos desaparecimentos, sem a necessidade de aguardar 24 horas. Eles também recomendam levar uma foto da pessoa desaparecida para facilitar a identificação durante as buscas.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias