rio de janeiro

Polícia Civil prende 13 em operação contra o tráfico de drogas no Rio

Com os presos foram apreendidos tabletes de maconha e celulares

Karol Albuquerque
Karol Albuquerque
Publicado em 23/12/2014 às 16:48
Leitura:

Policiais civis prenderam 13 pessoas sob suspeita de envolvimento com o tráfico de drogas, nesta terça-feira (23), nas cidades do Rio de Janeiro, de Itaguaí (Baixada Fluminense) e Itaboraí (região metropolitana). Com os presos foram apreendidos tabletes de maconha e celulares.

A polícia tenta cumprir o total de 34 mandados de prisão e 26 de busca e apreensão. Ao todo 25 suspeitos já foram presos, sendo dez durante a investigação, dois que já estavam na cadeia e outros 13 nesta terça (23).

Investigação aponta que a maior parte da quadrilha era formada por mulheres. Cada uma chegava a transportar um quilo de droga por mês para dentro do complexo penitenciário de Gericinó, em Bangu, zona oeste.

Essas mulheres levavam o material embrulhado em papel alumínio e fita isolante nas partes íntimas. Recebiam de R$ 400 a R$ 800, para cada transporte, dependendo se fosse cocaína ou maconha. O pagamento era maior para o transporte de cocaína. De acordo com a polícia, até grávidas eram usadas no esquema.

"Existia uma integrante da quadrilha, a Tia Kátia, que tinha anotado quanto cada mulher suportaria carregar. Eram tubos envolvidos em fita isolante ou crepe, e faziam testes antes de entrar no presídio (para evitar chamar a atenção com desconforto). Em média poderia chegar a 150 gramas cada cápsula. Elas levavam drogas até duas vezes por semana para o presídio", disse em nota o delegado José Luiz Duarte -da 44ª DP de Inhaúma (zona norte), que coordenou a operação.

Batizada de Sob Medida, a operação começou no início da manhã no centro e zona oeste do Rio. Cerca de 250 policiais civis de delegacias especializadas, distritais e da Core (Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais) participaram da operação.

Em nota, a Polícia Civil informou que todos os presos vão responder por tráfico de drogas e associação ao tráfico, com pena agravada por ser dentro de unidade prisional. Os nomes deles não foram divulgados. Nenhum advogado de defesa foi encontrado.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias