ásia

Marinha indonésia encontra corpos e destroços do avião da AirAsia

O chefe das operações de busca da Indonésia, Bambang Soelistyo, disse que três corpos foram resgatados, e não 40

Da Folhapress
Da Folhapress
Publicado em 30/12/2014 às 16:57
Foto: ROSLAN RAHMAN / AFP
O chefe das operações de busca da Indonésia, Bambang Soelistyo, disse que três corpos foram resgatados, e não 40 - FOTO: Foto: ROSLAN RAHMAN / AFP
Leitura:

A Marinha indonésia confirmou ter encontrado na manhã desta terça (30) corpos e destroços do voo QZ-8501,da AirAsia, que havia desaparecido no domingo (28).

O chefe das operações de busca da Indonésia, Bambang Soelistyo, disse que três corpos foram resgatados, e não 40 como previamente declarado por autoridades navais. Não houve explicação sobre a diferença dos números.

Já o primeiro almirante Sigit Setiayanta, comandante do Centro de Aviação Naval da base da força aérea de Surabaya, disse que seis corpos foram resgatados, de acordo com a Associated Press.

Os corpos, que estavam inchados, mas intactos, não estavam com coletes salva-vidas, afirmou Setiayanta.

As partes do avião foram encontradas no estreito de Karimata, que separa as ilhas de Bornéu e Belitung, perto de uma base aérea que serviu como ponto de decolagem para os aviões que participam da operação internacional de busca e resgate.

A confirmação foi feita horas depois de as autoridades divulgarem que um pescador tinha encontrado vários objetos no Mar de Java. Helicópteros e navios foram enviados ao local para recuperá-los e determinar sua procedência.

"Avistamos cerca de dez objetos grandes e outros muito menores, de cor branca, que não pudemos fotografar", indicou o oficial Agus Dwi Putranto, membro da Força Aérea da Indonésia.

Ainda não há informações sobre eventuais sobreviventes.

Imagens de um corpo flutuando no mar foram transmitidas pela televisão, fazendo parentes de passageiros reunidos em um centro de crise em Surabaia chorarem levando as mãos à cabeça. Segundo um repórter da Reuters, algumas pessoas desmaiaram e foram socorridas.

Estavam a bordo 155 passageiros e outros sete integrantes da tripulação. Entre eles havia 155 indonésios, três sul-coreanos, um britânico, um francês (copiloto), um malasiano e um cingapuriano.

A Indonésia coordena as operações de busca e resgate, com a ajuda da Austrália, Cingapura, China, Coreia do Sul, Estados Unidos, Malásia, Nova Zelândia e Tailândia.

"Vocês têm de ser fortes", disse a prefeita de Surabaia, Tri Rismaharini, ao confortar familiares das vítimas. "Eles não são nossos, eles pertencem a Deus."

O presidente da AirAsia, Tony Fernades, que está na Indonésia desde o desaparecimento da aeronave, disse que retornará a Surabaia.

"O que quer que pudermos fazer na Air Asia, faremos", disse no Twitter.

ACIDENTE - O voo saiu de Surabaia, na Indonésia, com destino a Cingapura, onde pousaria duas horas depois, segundo a previsão da companhia.

Devido a uma tempestade, os pilotos solicitaram um desvio de 11,7 km para a esquerda e subir de 9.753 metros para 11.582 metros. A manobra foi negada.

O governo indonésio informou que havia uma outra aeronave na altitude solicitada.

Minutos depois, os controladores autorizaram a elevação para 10.363 metros, mas não conseguiram mais contato com o avião, que sumiu do radar.

O piloto era indonésio e tinha 6.100 horas de voo; o copiloto, 2.275.

Segundo a AirAsia, a aeronave passou por sua última manutenção em novembro.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias