Estado Islâmico

Conselho de Segurança da ONU condena decapitação de cristãos

Os coptas egípcios foram sequestrados na cidade de Sirte, no Norte da Líbia. Ontem (15), o EI divulgou um vídeo mostrando os 21 homens antes de serem decapitados

Da ABr
Da ABr
Publicado em 16/02/2015 às 17:35
Foto: AL-FURQAN MEDIA / AFP
Os coptas egípcios foram sequestrados na cidade de Sirte, no Norte da Líbia. Ontem (15), o EI divulgou um vídeo mostrando os 21 homens antes de serem decapitados - FOTO: Foto: AL-FURQAN MEDIA / AFP
Leitura:

Os 15 membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU) condenaram hoje (16) a decapitação de 21 cristãos coptas egípcios na Líbia, pelos jihadistas do grupo Estado Islâmico (EI). Em declaração unânime, o Conselho de Segurança disse condenar “fortemente esse ato covarde e odioso que demonstra uma vez mais a brutalidade do EI”.

Os membros do conselho reafirmam que o EI deve “ser derrotado e que a intolerância, a violência e o ódio devem ser erradicados”. Ressaltam ainda que os atos de barbárie perpetuados pelo EI “não os intimidarão” e, ao contrário, “reforçam a [sua] determinação” em combater os jihadistas.

Os presidentes francês, François Hollande, e egípcio, Abdul Fatah al-Sissi, decidiram hoje pedir ao Conselho de Segurança uma reunião para analisar a ameaça que representa o Estado Islâmico.

Os coptas egípcios foram sequestrados na cidade de Sirte, no Norte da Líbia. Ontem (15), o EI divulgou um vídeo mostrando 21 homens vestidos com macacões cor de laranja – como os reféns assassinados na Síria e no Iraque – alinhados em uma praia com as mãos nas costas, antes de serem decapitados.

Como represália, aviões egípcios bombardearam hoje (16) posições do EI na Líbia. A ofensiva ocorre horas depois de o Estado Islâmico ter divulgado um vídeo em que mostra a decapitação de 21 cristãos egípcios.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias