Eleições americanas

Tem eleição dos Estados Unidos no Recife também

Consulado dos Estados Unidos no Nordeste realizou um evento intitulado Election Party Recife

JC Online
JC Online
Publicado em 09/11/2016 às 0:11
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Consulado dos Estados Unidos no Nordeste realizou um evento intitulado Election Party Recife - FOTO: Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leitura:

O consulado dos Estados Unidos no Nordeste realizou, na noite dessa terça-feira (8), um evento intitulado Election Party Recife para acompanhar a apuração das eleições 2016 do país. Este ano, concorreram na eleição, além dos candidatos a presidente, candidatos ao legislativo e ao governo de alguns estados.

Durante o evento para convidados, realizado num pub no bairro do Pina, tanto americanos quando brasileiros aguardavam, além da apuração das urnas, os momentos de sorteios de camisetas e outros brindes. Responderam, ainda, a um quiz sobre curiosidades de ex-presidentes. Em outra ação, o consulado premiou a foto mais criativa que usou a hashtag #electionpartyrecife.

Para participar das eleições, o americano que estava fora do país ficou submetido ao formato do seu Estado, onde os horários, os prazos e até mesmo as cédulas eleitorais podiam variar. Em algumas regiões, por exemplo, foi possível se cadastrar pela internet para receber a cédula eleitoral pelos correios e reenviá-la a tempo de ser computada. Esse foi o caso do cônsul-geral do Nordeste, Richard Reither, presente no local. 

Para Richard, nas eleições presidenciais a taxa de votação é muito mais alta, com expectativa que chegasse a 80% da população. O cônsul ainda elogiou o engajamento de brasileiros que mostraram interesse nas eleições americanas. “Já percebi que os brasileiros têm muito interesse nas nossas eleições, e é interessante averiguar de longe como são as eleições dos outros. Estou gostando muito de ficar com os brasileiros hoje à noite. Estamos aqui para celebrar a democracia”.

Para a brasileira Sara Ferreira, de 28 anos, que trabalha numa empresa de aviação americana, as eleições são importantes para o contexto internacional. “Por isso, vim prestigiar e acompanhar”, disse.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias