REPERCUSSÃO INTERNACIONAL

''Povo venezuelano está feliz e saúda a liberdade do irmão Lula'', afirma Maduro

O ex-presidente Lula deixou a prisão em Curitiba às 17h42 desta sexta-feira (08)

Thalis Araújo
Thalis Araújo
Publicado em 08/11/2019 às 19:00
Notícia
Foto: Henry Milleo/ AFP
FOTO: Foto: Henry Milleo/ AFP
Leitura:

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, comemorou a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva - um aliado-chave de seu falecido antecessor, Hugo Chávez -, que saiu nesta sexta-feira da prisão, onde cumpria pena de mais de oito anos de reclusão.

 

"O povo venezuelano está feliz e saúda a liberdade do irmão Lula. Viva o Brasil!, Viva Lula!, Viva a união da nossa América!", declarou Maduro durante discurso em rede de rádio e televisão, com a exibição de imagens da saída de Lula da prisão.

O ex-presidente Lula (2003-2010) saiu da prisão, beneficiado por uma decisão tomada na véspera pelo STF que vetou a prisão em segunda instância

Ele cumpria pena desde abril do ano passado, condenado por se beneficiar de um apartamento tríplex no Guarujá, litoral de São Paulo, que a empreiteira OAS ofereceu em troca de mediação em contratos com a Petrobras.

"Realmente é muito emocionante ver Lula na rua, Lula é o grande líder do Brasil e é um grande líder da América Latina e do Caribe", afirmou Maduro durante ato no Palácio presidencial de Miraflores.

O líder histórico da esquerda saiu sorridente da superintendência da Polícia Federal, onde estava preso desde abril de 2018, e foi cercado por uma multidão de partidários que o aclamava.

Foto: AFP
Presidente saiu da prisão as 17h42 desta sexta - Foto: AFP
Foto: AFP
Momento em que Lula deixa a prisão em Curitiba - Foto: AFP
Foto: AFP
Ele encontrou apoiadores e sua namorada - Foto: AFP
Foto: AFP
Lula discursa para apoiadores que lhe esperavam em frente à prisão - Foto: AFP
Foto: AFP
Lula abraça apoiadora - Foto: AFP
Foto: AFP
Fernando Haddad estava presente ao lado de Lula - Foto: AFP
Foto: Henry Milleo/ AFP
Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Zanin Martis, advogados do ex-presidente em Curitiba - Foto: Henry Milleo/ AFP
Foto: Henry Milleo/ AFP
Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Zanin Martis, advogados do ex-presidente em Curitiba - Foto: Henry Milleo/ AFP
Foto: Henry Milleo/ AFP
Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Zanin Martis, advogados do ex-presidente em Curitiba - Foto: Henry Milleo/ AFP
Foto: Henry Milleo/ AFP
Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Zanin Martis, advogados do ex-presidente em Curitiba - Foto: Henry Milleo/ AFP
Foto: Henry Milleo/ AFP
Cristiano Zanin, advogado do ex-presidente Lula, na frente da sede da PF em Curitiba - Foto: Henry Milleo/ AFP
Foto: Henry Milleo/ AFP
Apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na frente da sede da PF em Curitiba - Foto: Henry Milleo/ AFP
Foto: Henry Milleo/ AFP
Apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na frente da sede da PF em Curitiba - Foto: Henry Milleo/ AFP
Foto: Henry Milleo/ AFP
Apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na frente da sede da PF em Curitiba - Foto: Henry Milleo/ AFP
Foto: Henry Milleo/ AFP
Apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na frente da sede da PF em Curitiba - Foto: Henry Milleo/ AFP

Lula deixa a prisão em Curitiba

O relógio marcava 17h42 quando o ex-presidente Lula (PT) deixou a sede da Polícia Federal (PF) em Curitiba, na tarde desta sexta-feira (8), uma hora depois da expedição do alvará de soltura, onde estava preso desde 7 de abril de 2018. A saída do petista da prisão acontece após o Supremo Tribunal Federal (STF) considerar, por seis votos a cinco, a prisão após condenação em segunda instância inconstitucional na noite dessa quinta-feira (7).

A ordem de soltura do petista foi dada pelo juiz Danilo Pereira Júnior, da 12ª Vara Federal de Curitiba, menos de 24 horas depois de o Supremo Tribunal Federal declarar inconstitucional a prisão após condenação em segunda instância - caso de Lula.

Poucos minutos após a saída, às 17h53, o ex-presidente iniciou um discurso a aliados que o esperavam na frente da sede da PF, onde montaram um acampamento desde o início da prisão do petista. Em seguida, Lula deve viajar para São Paulo, onde participa, segundo correligionários, de um ato político no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, interior paulista.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias