POLÊMICA

Comissão de Ética do Rio aciona Carlos Bolsonaro por apologia à tortura

Um dos filhos do candidato Jair Bolsonaro vai ser acionado pela oposição na Comissão de Ética da Câmara do Rio

Estadão Conteúdo Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 27/09/2018 às 13:36
Foto: Reprodução/Facebook
Jair Bolsonaro chegou sozinho ao hospital, da rede privada de Brasília, e lá permaneceu por pouco mais de uma hora - FOTO: Foto: Reprodução/Facebook
Leitura:

Um dos filhos do candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL), o vereador Carlos Bolsonaro (PSL) será acionado pela oposição na Comissão de Ética da Câmara do Rio sob acusação de apologia à tortura.

Parlamentares da oposição entraram com denúncia contra a divulgação de imagem que simula um homem torturado. A foto foi publicada no "stories" do vereador no Instagram na noite de terça-feira, 25. Stories são mensagens com duração de 24 horas que podem ser deletadas.

O vereador publicou o conteúdo em referência ao movimento #EleNão, criado por um grupo de mulheres contrárias à candidatura de seu pai. Na imagem, um homem está amarrado, ensanguentado e com a cabeça dentro de um saco plástico. Em seu peito está escrito #EleNão e, mais abaixo, a frase: "sobre pais que choram no chuveiro", usada para em alusão a pais que têm vergonha de filhos homossexuais.

A imagem

A imagem, produzida originalmente por um ativista e sem a frase com referência a pais que choram no banheiro, foi repostada por um grupo de direita de Porto Velho, em Rondônia, chamado de @direitapvh. A página traz postagens críticas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e homenagens ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

No Twitter, Carlos Bolsonaro se posicionou oficialmente no início da tarde de quarta-feira, 26 depois de a imagem ter viralizado na rede: "Novamente inventam como se eu tivesse divulgado uma foto dizendo que quem escreve #elenão mereceria alguma maldade. Não, canalhas! Foi apenas a replicação da foto de alguém que considera isso uma arte. Me agradeçam por divulgar e não mintam como sempre", escreveu.

Últimas notícias