Lava Jato

Justiça dá novo prazo para presidente da Odebrecht explicar mensagens

Os defensores de Odebrecht informaram que não poderiam cumpri-lo porque não tinham se encontrado com seu cliente

Da ABr
Da ABr
Publicado em 23/07/2015 às 15:12
Foto: Divulgação / Site Odebrecht
Os defensores de Odebrecht informaram que não poderiam cumpri-lo porque não tinham se encontrado com seu cliente - FOTO: Foto: Divulgação / Site Odebrecht
Leitura:

A Justiça Federal concedeu novo prazo para que o presidente da construtora Odebrecht, Marcelo Odebrecht, apresente as explicações para as anotações que a Polícia Federal (PF) encontrou em seu celular. O prazo venceria nesta quinta-feira (23), mas, a pedido da defesa, o juiz Sérgio Moro o estendeu até a próxima segunda-feira (27).

O pedido de mais tempo foi apresentado na quarta-feira (22). Os defensores de Odebrecht informaram que não poderiam cumpri-lo porque não tinham se encontrado com seu cliente, preso na carceragem da Polícia Federal em Curitiba.

As mensagens foram encontradas no celular do empresário durante as investigações da Operação Lava Jato, que apura um suposto esquema de desvio de recursos da Petrobras para pagamento de propinas a altos executivos da estatal e políticos.

Entre as mensagens interceptadas que chamaram a atenção do juiz Sérgio Moro haviam anotações cifradas como a que dizia: “MF/RA: não movimentar nada e reembolsaremos tudo e asseguraremos a família. Vamos segurar até o fim. Higienizar apetrechos MF e RA. Vazar doação campanha. Nova nota minha mídia? GA, FP, AM, MT, Lula? E Cunha?”. Moro quer que o empresário explique o significado das cifras.

Últimas notícias