Operação

Lava Jato cumpre ordens judiciais em Pernambuco

Nova fase é um desdobramento da 23ª fase, chamada de Acarajé

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 22/03/2016 às 7:29
Foto: Agência Brasil
Nova fase é um desdobramento da 23ª fase, chamada de Acarajé - FOTO: Foto: Agência Brasil
Leitura:

A Polícia Federal em Pernambuco cumpriu, na manhã desta terça-feira (22), seis ordens judiciais dentro da 26ª fase da Operação Lava Jato. No Recife, a Operação Xepa, que contou com 20 policiais divididos em cinco equipes, cumpriu dois mandados de condução coercitiva e quatro mandados de busca e apreensão, em Boa Viagem e no bairro de Santo Antônio. 

Segundo informações extra-oficiais, Antônio Carlos Vieira da Silva Junior, sócio da Arco Comunicação, e Alexandre Biselli, engenheiro civil e executivo da Odebrecht, foram levados para a sede da PF por volta das 6h para prestar depoimento e, em seguida, serão liberados. Biselli é suspeito de pagar propina a agentes públicos e Antônio Carlos de ter ligação com o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, detido na ocasião do Mensalão.

Dos quatro mandados de busca e apreensão, três foram cumpridos no bairro de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, sendo duas em residências de suspeitos e uma em um estabelecimento comercial. A outra ordem judicial foi cumprida uma casa de câmbio no bairro de Santo Antônio, na área central da capital pernambucana.

Cerca de 380 agentes cumpriram ordens judiciais em Pernambuco, São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Bahia, Piauí, Distrito Federal e Minas Gerais. Ao todo, estão sendo cumpridos 110 mandados, sendo 67 de busca e apreensão, 28 de condução coercitiva, 11 de prisão temporária e quatro de prisão preventiva.

A nova fase é um desdobramento da 23ª fase, chamada de Acarajé, que descortinou, através das apreensões, um esquema de contabilidade paralela do Grupo Odebrecht. Os valores eram destinado ao pagamento indevido a terceiros indicados pelos altos executivos da empresa. Vários dos beneficiados eram vinculados ao poder público em todas as esferas.

De acordo com a Polícia Federal, existem "indícios concretos de que o Grupo Odebrecht se utilizou de operadores financeiros ligados ao mercado paralelo de câmbio para a disponibilização de tais recursos".

Os investigados responderão pelos crimes de corrupção, evasão de divisas, organização criminosa e lavagem de ativos, entre outros. Os conduzidos coercitivamente serão ouvidos em suas respectivas cidades, enquanto os presos serão encaminhados ainda nesta terça-feira (22) para a Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba.

Confira abaixo a lista completa de cidades onde acontece a 26ª Operação Lava Jato:

- Recife, em Pernambuco

- Guarujá, em São Paulo

- Guarulhos, em São Paulo

- Jundiaí, em São Paulo

- Valinhos, em São Paulo

- São Paulo, em São Paulo

- Angra dos Reis, no Rio de Janeiro

- Rio de Janeiro, no Rio de Janeiro

- Salvador, na Bahia

- Mata de São João, Bahia

- Distrito Federal, em Brasília

- Belo Horizonte, em Minas Gerais

- Nossa Fazenda, em Minas Gerais

- Porto Alegre, no Rio Grande do Sul

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias