IMPEACHMENT

Em discurso no Senado, Renan Calheiros pede "desculpas ao País"

Renan utilizou o seu discurso para destacar toda a condução do processo de impeachment e a importância da participação dos parlamentares

JC Online
JC Online
Publicado em 31/08/2016 às 13:14
Foto: Agência Brasil
Renan utilizou o seu discurso para destacar toda a condução do processo de impeachment e a importância da participação dos parlamentares - FOTO: Foto: Agência Brasil
Leitura:

O presidente do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB-AL), pediu a palavra após decisão sobre votação em separado da condenação de Dilma Rousseff e a possibilidade dela não perder os direitos políticos por 8 anos. Em dircuso, Calheiros pediu desculpas por qualquer atitude passional que fora tomada durante o processo e deixou claro que este episódio "deixará lição para todos, para sempre".

Acompanhe sessão ao vivo:


 

"Desejo parabenizar todos os senadores e senadoras, demostramos à nação o que a política tem de mais elevado. Discordamos sim, cometemos excessos sim, e por isso peço desculpas ao país por qualquer atitude mais contundente ou passional", afirmou.

Renan utilizou o seu discurso para destacar toda a condução do processo de impeachment e a importância da participação dos parlamentares. "A democracia não é o melhor regime, nem infalível, [...] a certeza será de que não nos omitimos", garantiu o senador.

"Estamos vivendo a história e seguimos em busca da verdade. Os onze ministros do STF, todos eles, foram escolhidos com a chancela democrática. Todos são guardiões da lei, foram sabatinados nesta Casa e aprovados. A decisão de hoje, seja qual for tem o DNA da democracia e da Constituição".

"Eu respeitarei qualquer que seja a deliberação deste plenário e estarei engajado com a agenda que nos ajuda a superar a crise que nos atinge, sobretudo no campo econômico. Seja qual for o veredito, haverá um dia seguinte e eu estarei empenhado", finalizou.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias