ATIVO

Bolsonaro deve voltar ao trabalho nesta quarta-feira, diz porta-voz

O presidente irá trabalhar em um gabinete montado no próprio hospital, onde deve ficar até 10 dias após a cirurgia

Bianca Sousa
Bianca Sousa
Publicado em 29/01/2019 às 16:09
Foto: Nelson Almeida/AFP
O presidente irá trabalhar em um gabinete montado no próprio hospital, onde deve ficar até 10 dias após a cirurgia - FOTO: Foto: Nelson Almeida/AFP
Leitura:

O presidente Jair Bolsonaro tem previsão de volta aos trabalhos nesta quarta-feira (30), entre 9h e 10h, conforme informação do porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros.

Passadas 48 horas da cirurgia realizada nessa segunda-feira (28), no Hospital Albert Einstein, na capital paulista, Bolsonaro voltará à função de presidente, trabalhando no gabinete montado no próprio hospital. De acordo com Rêgo Barros, ao lado do quarto onde o presidente estará em recuperação o Gabinete de Segurança Institucional organizou um espaço, com equipamentos e estrutura técnica, que permitirá a Bolsonaro orientar seus ministros e conceder audiências.

Repouso

Até amanhã (30), o presidente permanece em descanso total, segundo Rêgo Barros, e o vice-presidente Hamilton Mourão exerce interinamente a Presidência. A previsão é que o presidente tenha alta em 10 dias a partir da cirurgia, realizada na segunda-feira (28). O procedimento, que reconstruiu o trânsito intestinal, durou sete horas, não teve intercorrências nem necessidade de transfusão de sangue. O presidente está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Apesar da demora de sete horas no procedimento, o dobro do previsto inicialmente, Rêgo Barros disse ontem (28) que a cirurgia foi exitosa. "O presidente possuía, em razão das duas outras cirurgias, uma grande quantidade de aderências. Essas aderências exigiram do corpo médico uma verdadeira obra de arte", disse na ocasião. Segundo Rêgo Barros, foi retirado um pedaço do intestino grosso.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias