Decisão

De última hora, PSB escolhe não participar de café da manhã com Bolsonaro nesta quinta

Segundo a sigla, o clima entre o Poder Executivo e Congresso não 'favorece ao diálogo'

Maria Eduarda Bravo
Maria Eduarda Bravo
Publicado em 22/05/2019 às 8:02
Notícia
Foto: Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados
Segundo a sigla, o clima entre o Poder Executivo e Congresso não 'favorece ao diálogo' - FOTO: Foto: Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados
Leitura:

Foi por volta da 1h da madrugada desta quarta-feira (22), que o PSB voltou atrás e soltou uma nota afirmando que deputados federais filiados a sigla cancelaram suas presenças no café da manhã com o presidente Jair Bolsonaro (PSL), em Brasília. O capitão reformado havia convidado parlamentares do Nordeste para uma conversa no Palácio do Planalto. 

Antes, os deputados participariam do encontro alegando que era essencial discutir as pautas da região. "Ao longo do dia ficou evidente nesta Casa o desconforto com o crescente clima de acirramento entre o Poder Executivo e o Congresso Nacional, o que, por evidente, não oportuniza as condições políticas adequadas a favorecer o diálogo construtivo que o Nordeste merece", afirmou o deputado e líder da legenda na Câmara, Tadeu Alencar (PSB-PE). 

O pernambucano explicou ainda que "ficou claro, por parte dos partidos de oposição, a falta de clima para tão relevante discussão, em momento em que o parlamento tem sido objeto de reiterados ataques, que em nada contribuem para a normalidade institucional”, diz um trecho da nota. 

Entretanto, mesmo fazendo parte do partido, o deputado federal Felipe Carreras será o único que confirmou presença na reunião com o capitão reformado. No encontro, o chefe do Executivo deve tratar de temas como a reforma da Previdência, Educação e os pleitos Região.

Atualmente, em Pernambuco, o PSB tem cinco deputados.

Bolsonaro em Pernambuco 

O presidente Jair Bolsonaro decidiu fazer uma ofensiva em território quase todo comandado por governadores da oposição. Na semana seguinte aos maiores protestos de rua contra seu governo, Bolsonaro fará a primeira viagem oficial ao Nordeste, para entregar casas populares e anunciar mais verbas para obras de infraestrutura. É nessa região que o presidente registra as piores avaliações - para 40% dos nordestinos, o governo é ruim ou péssimo, conforme o Ibope.

O roteiro tomará toda a sexta-feira (24). Em Petrolina (PE), Bolsonaro vai entregar um conjunto habitacional do programa Minha Casa Minha Vida. Em Recife (PE), deverá anunciar um acréscimo de R$ 2,1 bilhões ao Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste, a ser usado em obras de infraestrutura. Ao todo, o fundo passará a ter R$ 25,8 bilhões em 2019.

Oficialmente, a viagem marcará o lançamento do Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE), elaborado pela primeira vez, no âmbito da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). O presidente vai se reunir, no Instituto Ricardo Brennand, complexo cultural da capital pernambucana, com 11 governadores.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias