REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Bolsonaro compara reforma com quimioterapia "necessária para sobreviver"

Presidente está na Cúpula dos Chefes de Estado do Mercosul, na Argentina

Estadão Conteúdo Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 17/07/2019 às 15:30
Notícia
Foto: Agência Brasil
Presidente está na Cúpula dos Chefes de Estado do Mercosul, na Argentina - FOTO: Foto: Agência Brasil
Leitura:

O presidente Jair Bolsonaro voltou a se referir ao tratamento usado em casos de câncer para falar sobre ajustes que têm de ser feitos na economia brasileira. Durante a Cúpula dos Chefes de Estado do Mercosul, na cidade de Santa Fé, na Argentina, ele afirmou que a reforma da Previdência é uma "quimioterapia" necessária para o país. Complementou que interessa aos países da América do Sul e do Mercosul que a economia brasileira esteja bem, e, reiterou, a reforma é necessária para isso. 

"Sabemos que para a América do Sul como um todo é bom que o Brasil vá bem. Assim como é bom para nós também que outros países estejam bem", disse, completando: "Apesar de a reforma ser quase como uma quimioterapia, é necessária para o corpo sobreviver". Na segunda-feira, durante evento na Câmara dos Deputados, Bolsonaro já havia dito que o Brasil precisa de uma quimioterapia.

Durante seu discurso na Cúpula, o presidente fez acenos importantes em relação aos países vizinhos. Sinalizou pela reeleição de Maurício Macri na Argentina e citou o presidente Evo Morales, da Bolívia, por diversas vezes - Morales deseja apoio para entrar no Mercosul. Em um determinado momento, durante os cumprimentos, chegou a dizer que sentia saudades do presidente boliviano. 

Deslize

Em relação ao presidente chileno Sebastián Piñera, cometeu um deslize. Ao cumprimentá-lo, brincou: "Seu problema é com o Peru, não é com o Brasil, não", apesar da indisposição histórica entre os dois países. E emendou em seguida: "Na Copa América, para deixar bem claro".

Últimas notícias