RIO DE JANEIRO

MP faz buscas em endereços de Fabrício Queiroz e parentes de Flávio Bolsonaro

As ordens judiciais têm a ver com a investigação sobre lavagem de dinheiro e peculato no gabinete de Flávio, quando ele ainda era deputado estadual

JC Online
JC Online
Publicado em 18/12/2019 às 7:20
REPRODUÇÃO
Fabrício Queiroz e o Senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) - FOTO: REPRODUÇÃO
Leitura:

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) cumpre na manhã desta quarta-feira (18) vários mandados de busca e apreensão em endereços de ex-assessores do senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ) no Estado. As ordens judiciais foram expedidas no âmbito da investigação sobre lavagem de dinheiro e peculato no gabinete de Flávio quando ele ainda era deputado estadual do Rio. As informações são do jornal O Globo.

Entre os alvos das medidas cautelares expedidas pela justiça fluminense estão Fabrício Queiroz, ex-chefe da segurança de Flávio, seus familiares e ainda parentes de Ana Cristina Siqueira Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em comum, todas essas pessoas tiveram o sigilo fiscal e bancário quebrado pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro em abril de 2019.

Os mandados são cumpridos na capital do Estado e em Resende, no Litoral Sul do Rio de Janeiro, onde nove parentes de Ana Cristina Siqueira Valle são alvo das medidas judiciais. Segundo o MPRJ, eles foram lotados no gabinete de Flávio durante algum período entre 2003 e 2018, período em que o hoje senador cumpriu seus quatro mandatos como deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Decisão do STF

Conhecido como "Caso Queiroz", as investigações ficaram paradas de julho até novembro aguardando decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a legalidade do compartilhamento de informações sigilosas por órgãos como a Unidade de Inteligência Financeira (UIF, antigo Coaf) e a Receita Federal com o Ministério Público e órgãos policiais sem autorização judicial. O STF aprovou no mês passado a tese para o compartilhamento.

Últimas notícias