PRESIDENTE

Salário mínimo é ''pouco para quem recebe e muito para quem paga'', diz Jair Bolsonaro

Nesta terça-feira Bolsonaro disse haver brecha para reajustar o salário mínimo pela inflação

Cássio Oliveira
Cássio Oliveira
Publicado em 14/01/2020 às 10:52
Notícia
Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil
Nesta terça-feira Bolsonaro disse haver brecha para reajustar o salário mínimo pela inflação - FOTO: Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil
Leitura:

Atualizada às 23h20 do dia 14 de janeiro de 2020

Após afirmar, nesta terça-feira (14), que o governo vê uma brecha para reajustar o salário mínimo pelo menos no mesmo índice da inflação de 2019, o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), foi ao Twitter fazer uma comparação entre o reajuste feito no Brasil e na Venezuela, país que está no alvo das críticas dos bolsonaristas desde o tempo de campanha. À noite, ele confirmou o aumento para R$ 1.045 via medida provisória (veja vídeo do anúncio no final do texto). 

"O nosso salário mínimo é pouco para quem recebe e muito para quem paga. Uma eterna discussão entre direitos e deveres. A Venezuela, modelo de democracia para o PT, acaba de reajustar o seu salário mínimo em 66%, ou seja, U$ 3,70, o equivalente a R$ 15,00. Não se tem notícia de ninguém de Roraima fugindo para a Venezuela, mas sim de milhares de socialistas brasileiros indo curtir férias nos Estados Unidos", afirmou o presidente.

No fim de 2019, o governo publicou uma medida provisória que reajustava o salário mínimo com base em uma previsão do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) e o valor ficaria em R$ 1.039. No entanto, o INPC oficial de 2019 foi divulgado em janeiro, e o índice ficou acima do esperado (o governo previa 0,62% em dezembro, mas foi de 1,22%). Com isso, o valor do mínimo ficaria abaixo da inflação. Se for ajustado pelo valor total do INPC, vai a R$ 1.042,70.

Paulo Guedes

Bolsonaro disse a jornalistas que terá uma reunião ainda nesta terça-feira com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para discutir o tema. "Vou me reunir com o Paulo Guedes agora à tarde. Eu acho que tem brecha para a gente atender. É porque a inflação de dezembro foi atípica, por causa do preço da carne. Então vai ser duas da tarde, tenho um despacho com o Paulo Guedes para decidir esse assunto", disse o presidente.

Na avaliação do governo, se a mudança não for feita pelo Planalto, o Congresso votará o reajuste, criando um desgaste para o presidente Jair Bolsonaro. Questionado sobre a ideia de recompor pelo menos o valor do INPC, o presidente confirmou que a ideia é essa. "No mínimo isso aí. Agora, cada R$ 1 no salário mínimo são mais ou menos R$ 300 milhões [de impacto] no Orçamento. A barra é pesada, mas a gente tem que... Apesar de ser pouco o aumento, R$ 4 ou R$ 5, tem que recompor", concluiu.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias