Investigação

"Câmara de Jaboatão não será a única investigada", diz delegada

Polícia apresentou detalhes da operação nesta terça-feira, na sede do Depatri, em Afogados

JC Online
JC Online
Publicado em 18/10/2016 às 10:43
Foto: Paulo Veras/JC
Polícia apresentou detalhes da operação nesta terça-feira, na sede do Depatri, em Afogados - FOTO: Foto: Paulo Veras/JC
Leitura:

A Polícia Civil de Pernambuco apresentou nesta terça-feira (18) os detalhes da Operação Caixa de Pandora, que investiga diversas irregularidades na Câmara dos Vereadores de Jaboatão dos Guararapes. A apresentação aconteceu na sede do Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri), em Afogados, Zona Oeste do Recife. Ao todo, três armas e R$ 303 mil em espécie foram apreendidos pela polícia. O candidato a prefeito Neco (PDT) e o vice de Anderson Ferreira, Ricardo Valois (PR), também são investigados.

Também são alvos da investigação os vereadores Reinival Sampaio Dourado (Sargento Sampaio), Jeneton José Basílio, Samoel Gomes da Silva (Samoel da Sorveteria), Josivaldo Rufino dos Santos (Vado Jogador), Edson Severiano de Oliveira (Louro), Charles Darcks Rodrigues de Aguiar (Charles Motorista), Adriano Alves Bezerra, Carlos José de Souza (Soldado Souza), Edmilson Monteiro da Silva, Eduardo Gomes do Nascimento, Eurico da Silva Moura, José Belarmino de Sousa, Luciano Luiz de Almeida, Miguel Antônio da Silva, Misael Barbosa da Silva, Sandra Maria de Lima Silva e Sebastião Virgílio Viera.

A delegada responsável pelo caso, Patrícia Domingues, afirmou, durante a apresentação, que a Câmara de Jaboatão foi apenas o primeiro passo. "Não será a única investigada", disse.

Segundo a Polícia Civil, no esquema, os comissionados devolviam até 90% dos seus salários aos vereadores de Jaboatão. Além disso, de acordo com a PC, eles só compareciam à casa legislativa uma vez por mês para assinar o ponto. A Polícia Civil afirmou que os vereadores formaram associação criminosa com o objetivo de aumentar o número de cargos comissionados.

Ao todo, seis operadores foram selecionados para recolher todo o dinheiro dos comissionados para os vereadores de Jaboatão.

Na casa do vereador e candidato Neco, foi encontrado dinheiro em várias partes da sua casa, em Cajueiro Seco. Uma parte do montante estava numa lixeira, diz a Polícia Civil. Além disso, uma lista de eleitores também foi achada na sua residência. Dos R$ 303 mil, R$ 177 mil foram recolhidos na casa de Neco, segundo a polícia.

A Polícia encontrou na casa do vereador Enfermeiro Vieira (PR) anotações que continham a expressão "boca de urna".

RESPOSTA

Na sexta-feira (14), Neco classificou a Operação Caixa de Pandora, da qual é alvo, como uma "grande armação" e disse que está tranquilo quanto a investigação. A ação da Polícia Civil investiga suspeitos de envolvimento em esquema de peculato, abandono de cargo público. A polícia cumpriu 48 mandados de busca e apreensão no município.

Em nota, a Câmara de Jaboatão afirmou que as supostas irregularidades serão esclarecidas no âmbito do Poder Judiciário, "quando os acusados terão a oportunidade de apresentar detalhes sobre o funcionamento de seus gabinetes, dirimindo assim qualquer dúvida sobre a forma como cada servidor exerce a sua função, uma vez que na maior parte do tempo estas atividades não se limitam ao espaço físico dos gabinetes, mas se dão nas diversas comunidades onde os parlamentares atuam". A Casa também se colocou a disposição das autoridades.


Últimas notícias