Eleições 2020

Humberto diz que diretório do PT do Recife quer manter aliança com PSB em 2020

O senador considera que os diretórios municipais do PT vão liderar debate sobre as eleições, mas em Recife, Executiva Nacional vai dar a última palavra

Luisa Farias
Luisa Farias
Publicado em 06/12/2019 às 16:44
Notícia
Foto: Leo Motta/JC Imagem
O senador considera que os diretórios municipais do PT vão liderar debate sobre as eleições, mas em Recife, Executiva Nacional vai dar a última palavra - FOTO: Foto: Leo Motta/JC Imagem
Leitura:

Líder do grupo que venceu o Processo de Eleições Diretas do PT, o senador Humberto Costa (PT) ressaltou o entendimento do diretório do PT no Recife de manter a aliança da sigla com o PSB tendo em vista as eleições municipais de 2020. O deputado federal João Campos (PSB) é visto como o nome do PSB para disputar a prefeitura da capital pernambucana, enquanto a deputada federal Marília Arraes (PT) também surge como possível candidata do PT. 

"Hoje a direção municipal do PT em Recife, pelo que eu posso apurar, tem uma posição favorável a uma aliança, manter a aliança", conta o petista. No Processo de Eleição Direta (PED) em setembro deste ano, Cirilo Mota conquistou a liderança do diretório, na chapa “Frente ampla – Lula Livre”, do ex-vereador Oscar Barreto (PT), aliado de Humberto.

Para Humberto, o protagonismo no debate sobre as eleições de 2020 será dos diretórios municipais do PT em cada cidade. "A palavra mais importante no debate sobre as eleições municipais é a do partido no município, do diretório municipal, da posição dos filiados que o PT tem", disse o petista. 

Mas o senador lembra que, em Recife, para além do posicionamento do diretórios, a palavra final virá da Executiva Nacional do PT. "Recife, por ser uma capital e ter uma população de quase 2 milhões de pessoas, ela está na linha inclusive de uma decisão nacional. A decisão final sobre Pernambuco deverá passar pela própria direção nacional do PT", ponderou. 

Desde que saiu da prisão, o ex-presidente Lula vem reafirmando a necessidade do PT retomar seu protagonismo e de lançar candidaturas próprias no maior número de municípios possíveis.

Lula

Humberto também considerou que, mesmo que o ex-presidente Lula consiga recuperar os seus direitos políticos - já que atualmente ele está inelegível por causa da Lei da Ficha Limpa - "não há nenhuma certeza de que ele pretenda ser candidato novamente". "Ele mesmo tem dito, ele vai estar com 77 anos em 2022, o PT tem outros nomes", disse Humberto, ao citar os governadores petistas Camilo Santana (Ceará), Rui Costa (Bahia) Wellington Dias (Piauí) e o próprio ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), candidato do PT nas eleições presidenciais de 2018.

"Não há essa certeza de que Lula será candidato mesmo que ele recupere seus direitos políticos. Ele próprio já fez essa colocação que não tem essa ambição. A preocupação dele é tentar fazer com que o Brasil melhore, especialmente as pessoas pobres possam mudar de vida, como foi no período em que nós governamos o Brasil", completou Humberto. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias