OPINIÃO

Subalterno ofende vice-presidente do TCU, Ana Arraes

Leia a opinião de Cláudio Humberto

Cláudio Humberto
Cláudio Humberto
Publicado em 30/07/2020 às 8:04
Notícia
Secom-TCU/Antonio Leal
Ana Arraes, ministra do Tribunal de Contas da União (TCU) - FOTO: Secom-TCU/Antonio Leal
Leitura:

Sempre rigoroso com gestores públicos que agem mal, o procurador do ministério público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Lucas Furtado, ficou devendo punição severa e imediata do seu chefe de gabinete, que foi grosseiro com a ministra Ana Arraes, durante sessão virtual da Corte, nesta quarta (29). Apenas concordou que o auxiliar use a porta dos fundos, pedindo aposentadoria. Aliás, aposentadoria com vencimentos integrais é a “punição máxima” dessa turma.

Ana Arraes presidia a sessão e se confundiu com a posição de Lucas Furtado, cujo auxiliar xingou: “Ele não pediu vista, porra! Mulher louca.”Achando pouco, o camarada segue: “Rapaz do céu! A ministra Ana Arraes vai ser o caos na presidência do TCU!”. A ministra assumirá a presidência do tribunal em dezembro, em substituição ao atual ocupante do cargo, José Múcio Monteiro.

Críticas à direção da OAB

O ex-presidente nacional da OAB Reginaldo de Castro está entre os muitos indignados, e não se surpreendeu quando soube que o também ex-presidente Marcus Vinícius Furtado Coelho, para ele “eminência parda” da Ordem, está entre os organizadores do 1º Congresso Digital Covid-19, em que a entidade expôs ministros de tribunais associando-os à logomarca do “patrocinador” Qualicorp, empresa fundada por Luiz Seripieri Júnior, preso na semana passada acusado de corrupção. Reginaldo compara Marcus Vinícius a Richelieu, “não tem limites”. E alerta para a data da ação do colega que beneficiou a Qualicorp.

A liminar de Marcus Vinícius foi ao STF quando Ricardo Lewandowski estava de plantão no recesso de janeiro de 2014, e a concedeu. Marcus Vinícius se esmerava em agrados. Nomeou “embaixador da OAB” na entidade de advogados em Londres um filho de Lewandowski. Reginaldo também critica a candidatura frustrada de Marcus Vinicius a ministro do STF: “Nunca na história da Ordem um presidente fez isso”.

Retirada tardia

Três dias após a denúncia desta coluna, a OAB retirou parcialmente da transmissão do Facebook a logomarca da Qualicorp colada à imagem de ministros e demais convidados do seu “Congresso Digital Covid-19”.

Mandou bem

Reserva moral da República, o ministro Marco Aurélio fez questão de decidir, mesmo no recesso, o pedido debochado da turma do deputado Rodrigo Maia para anular as provas apreendidas no mandado judicial cumprido no gabinete do deputado Paulinho da Força.

Fez andar

O ministro Lewandowski concedeu a liminar solicitada pelo advogado Marcus Vinícius Furtado Coelho contra ato de Dilma favorável ao Geap, da qual a Qualicorp se beneficiou, mas encaminhou o processo ao relator, ministro Luiz Fux, desde fevereiro de 2014. Cumpriu o rito.

Vantagem

Segundo a assessoria da Funai, o contrato de aluguel de R$1 milhão por mês da luxuosa sede da fundação, em Brasília, foi fechado em 2017, mas foi renovado em julho de 2019 por ser “mais vantajoso”.

Legislativo

Segundo o Observatório do Legislativo Brasileiro (OLB), dos 540 projetos com regime de urgência no Congresso, entre 15 de março e 5 de julho (na pandemia), 482 têm deputados como autores (90%).

Censura

A FGV/DAPP realiza nesta quinta (30) webinar sobre “como monitorar a discussão política nas redes sociais” na Argentina e no Brasil, onde já tramita um (perigoso) projeto sob pretexto de “combater fake news”.

Frase

"Democracia é presentear quem você quiser", deputado Luiz Lima (RJ), após as críticas ao ex-jogador do Corinthias Marcelinho Carioca, que deu uma camisa do time ao presidente Bolsonaro

 

 

 

Comentários

Últimas notícias