Polêmica

MEC divulga vídeo sobre o Enem e gera polêmica nas redes sociais

Após divulgar vídeo institucional em apoio ao Enem, MEC é alvo de críticas por quem defende adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio

Marília Banholzer
Marília Banholzer
Publicado em 04/05/2020 às 19:06
Notícia
Leo Motta/JC Imagem
O Senado aprovou, nesta terça-feira (19), o texto-base do projeto de lei para adiamento do Enem - FOTO: Leo Motta/JC Imagem
Leitura:

Um vídeo institucional do Ministério da Educação (MEC), divulgado nesta segunda-feira (4), dia marcado pela volta às aulas em ambiente virtual em Pernambuco, causou polêmica nas redes sociais. O conteúdo traz jovens incentivando os alunos do ensino médio a estudarem para o Enem 2020. Após a postagem no Twitter oficial do ministério, centenas de internautas discordaram sobre a manutenção das provas deste ano marcado pela pandemia no novo coronavírus.

O principal argumento das pessoas contrárias ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é que as condições de aprendizado dos jovens estão defasadas, e que muitas crianças, em especial as mais carentes, estão fora das escolas por causa do isolamento social. A falta de acesso à internet é outro ponto questionado, já que não é rara a situação de alunos que não têm como ter aulas em ambiente virtual.

O internauta Kaeel Silva escreveu: "Isso é criminoso, vcs perderam a noção do ridículo". Já Luiz Dantas justificou: "Só quem realmente sabe da realidade das escolas públicas brasileiras entende que se acontecer Enem esse ano ele será o mais excludente de todos os tempos!!". Ainda houve quem pedisse o cancelamento das provas, como a Aninha_K: "Desumano, desonesto e absurdo. Se vocês pensam tanto no "futuro" comecem a pensar que talvez nem em novembro a gente chegue. O acesso não é simples para todos, vocês estão realmente vivendo o mesmo Brasil que a gente? #CancelaEnem".

Em 17 de abril a Justiça Federal de São Paulo determinou que a edição do Exame Nacional do Ensino Médio fosse adiada em função da pandemia do coronavírus. A decisão também apontava para que o prazo de solicitação de isenção da taxa de inscrição fosse adiado por 15 dias.

No dia seguinte da decisão, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, usou sua conta no Twitter para informar que o governo federal iria recorrer. Passada a briga judicial, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) atualizou o site do Enem 2020 com as alterações do calendário e das diretrizes solicitadas pela Justiça.

» Inep vai garantir isenção do Enem a quem perdeu prazo

Agora, a versão digital ficou marcada para 22 e 29 de novembro (antes seria realizada nos dias 11 e 18 de outubro). Já a aplicação da prova impressa permanece prevista para as datas 1º e 8 de novembro, apesar das manifestações de preocupação de senadores como Daniella Ribeiro (PP-PB), Izalci Lucas (PSDB-DF) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Os editais que confirmam as novas datas do Enem digital estão disponíveis na página do Inep. As inscrições poderão ser feitas entre 11 e 22 de maio.O valor da taxa de inscrição, de R$ 85, deverá ser pago até 28 de maio.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias