COLUNA ENEM E EDUCAÇÃO

Professores de Olinda já podem agendar vacinação contra a covid-19

Também estão liberados para receber a vacina os demais trabalhadores da educação básica, profissionalizante e do ensino superior

Margarida Azevedo
Margarida Azevedo
Publicado em 28/05/2021 às 19:04
Notícia
PAULO DANIEL/JC IMAGEM
Olinda liberou vacinação contra covid-19 para grupos prioritários - FOTO: PAULO DANIEL/JC IMAGEM
Leitura:

Professores de Olinda e demais trabalhadores da educação da cidade já podem marcar a data para tomar a vacina contra a covid-19. Nesta sexta-feira (28), a prefeitura liberou o link para agendamento dos funcionários de escolas da educação básica, colégios profissionalizantes e faculdades de unidades públicas e privadas.

Olinda tem 3.385 docentes da educação básica, segundo levantamento feito pelo sindicato dos donos de escolas privadas, a partir de dados do Inep. São 1.611 professores da rede particular e 1.858 nas escolas públicas. 

A prefeitura também liberou cadastramento da vacina para os outros grupos prioritários elencados no Plano Nacional de Imunização. Na última quinta-feira (27), o governador Paulo Câmara autorizou as cidades a avançarem na vacinação desses grupos.

Podem, portanto, também receber a dose de vacina que protege contra a covid-19, em Olinda, pessoas com idades a partir 59 anos; trabalhadores de  Creas e Cras, da força de segurança, limpeza urbana, transportes coletivos, pessoas com deficiência permanente e em situação de rua.

São 13 pontos fixos de vacinação em Olinda. No agendamento, trabalhadores da educação devem anexar ou apresentar no ato da vacinação documento pessoal com foto e declaração de vínculo com a instituição de educação em papel timbrado. Nessa declaração deve constar os dados pessoais do profissional assim como sua função e matrícula.

LOCAL DE TRABALHO

Entre os docentes, surgiu uma dúvida: para tomar a vacina, o professor deve considerar sua cidade de residência ou de local de trabalho? A Secretaria de Saúde de Pernambuco informa que a orientação é que o docente ou trabalhador da educação seja vacinado no município em que tem vínculo empregatício, ou seja, na cidade onde fica a escola ou faculdade que ele atua. 


Comentários

Últimas notícias