agressão

Deputado do PT bate em parlamentar adversário e usa termo homofóbico contra Nikolas; veja vídeo;

Caso ocorreu durante a promulgação da Reforma Tributária, em que o presidente Lula estava presente. Vice-presidente do PT afirma que agressão e xingamento homofóbico foi uma reação aos ataques contra Lula

Imagem do autor
Cadastrado por

Cynara Maíra

Publicado em 21/12/2023 às 6:56 | Atualizado em 21/12/2023 às 7:15
Notícia
X

Na noite desta quarta-feira (20), uma agressão ocorreu na Câmara dos Deputados. Enquanto era promulgado a reforma tributária, o deputado Washington Quaquá (PT-RJ) se envolveu em uma confusão com parlamentares da oposição em que deu um tapa no deputado Messias Donato (Republicanos-ES) e chamou Nikolas Ferreira (PL-MG) de "viadinho". 

Deputado do PT agride parlamentar e faz xingamento homofóbico contra Nikolas Ferreira

É indicado que a confusão iniciou quando o deputado Quaquá filmava o deputado Messias Donato enquanto o último e alguns parlamentares da oposição vaiavam a presença do presidente Lula (PT) no Plenário. Esse grupo recebeu Luiz Inácio com gritos de "Lula, ladrão, seu lugar é na prisão" e o chamando de cachaceiro. 

Segundo o vice-presidente do PT, ele foi empurrado e impedido de gravar e como reação deu um tapa na cara do colega. Quaquá indicou que estava filmando as vaias contra Lula para entrar com representação na Comissão de Ética da Câmara dos Deputados. A agressão ocorreu logo no começo da discussão entre governistas e oposição. 

Logo antes de bater em Donato, Washington Quaquá chamou Nikolas Ferreira de "viadinho". Após a agressão, o petista se afastou da confusão, mas não saiu do plenário. Para evitar mais problemas, os seguranças da Câmara dos Deputados realizaram um bloqueio entre as bancadas da esquerda e da direita. 

Sobre o tapa, Washington Quaquá afirmou que não tinha o costume de usar violência como método, mas que não toleraria "agressões verbais ou físicas da ultradireita" e que sempre irá reagir para se defender. Finalizando com a expressão "bateu, levou", dando a entender que realizaria a agressão novamente. 

Após a situação, o deputado Messias Donato chorou no plenário, disse ter medo e ter se sentindo humilhado, além de relatar estar abalado física e psicologicamente. 

"O comportamento desse indivíduo, que eu não posso chamar de parlamentar, não pode ser copiado nesse Congresso, nessa Câmara, nem ser levado para as ruas do nosso Brasil", afirmou Donato.

A situação ocorreu em meio a uma festa em comemoração à primeira mudança na área tributária desde 1960. Estavam presentes na Câmara os principais nomes da República, não apenas o presidente Lula, como também o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, o presidente do Congresso e do Senado, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG) e o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). 

Veja vídeo: vice-presidente do PT usa termo homofóbico contra Nikolas Ferreira e bate no rosto de deputado

Tags

Autor