violência urbana

Primeiro mês do Juntos pela segurança foi o mais violento do ano em Pernambuco

Pacto pela Vida foi satanizado nas duas últimas eleições em Pernambuco. Governo Raquel Lyra promete uma nova era de segurança pública

Imagem do autor
Cadastrado por

Jamildo Melo

Publicado em 02/01/2024 às 20:06 | Atualizado em 02/01/2024 às 20:21
Notícia
X

Em dezembro, justamente o primeiro mês de vigência do plano Juntos pela Segurança, que levou 11 meses para ser lançado oficialmente, 337 pessoas foram assassinadas em Pernambuco, de acordo com os registros da Secretaria de Defesa Social (SDS).

No último mês do ano, foram ao todo 30 ocorrências a mais do que no mesmo período de 2022, segundo os dados preliminares.

Veja abaixo a soma de mortes violentas na capital, Região Metropolitana e interior

  • Janeiro 289
  • Fevereiro 313
  • Março 304
  • Abril 317
  • Maio 301
  • Junho 267
  • Julho 309
  • Agosto 303
  • Setembro 321
  • Outubro 271
  • Novembro 291
  • Dezembro 337

Com o resultado, Pernambuco fechou o ano de 2023 com aumento nas mortes violentas intencionais, conforme informou o JC nesta terça-feira. Estatísticas preliminares do governo estadual apontam que ao menos 3.625 pessoas foram assassinadas. O crescimento foi de 5,78% em relação a 2022, quando 3.427 vidas foram perdidas por causa da violência.

Na virada do ano, o governo do Estado aproveitou a festa da virada para comemorar o resultado pacífico da festa de fim de ano na praia, no Recife.

Após meses de atrasos, com cobranças da oposição, a governadora Raquel Lyra (PSDB) lançou seu programa de segurança pública, o Juntos pela Segurança, no final de novebro. O tão aguardado lançamento oficial ocorreu na segunda-feira (27), na Arena Pernambuco.

O programa atrasou após mudança na titularidade da Secretaria de Defesa Social. Saiu a delegada federal Carla Patrícia e entrou o também delegado federal Alessandro Carvalho, que já ocupou a mesma função no governo de Paulo Câmara.

A oposição cobrou de forma ferrenha o lançamento, especialmente depois de sucessivos atrasos.

Em um movimento da oposição, até o deputado federal Pedro Campos (PSB) foi para a frente da Secretaria de Defesa Social, gravar um vídeo destacando o atraso e falando bem do programa "Pacto pela Vida", criado pelo seu pai, ex-governador Eduardo Campos, já falecido.

Tags

Autor