COLUNA MOBILIDADE

Municípios limitam vacinação contra covid-19 a motorista e cobrador de ônibus e empresários pedem ampliação

Por enquanto, limitação acontece em Recife e Olinda. Jaboatão liberou para todos. Urbana-PE faz apelo ao governo do Estado, aos prefeitos e ao MPPE

Roberta Soares
Roberta Soares
Publicado em 01/06/2021 às 15:04
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
A cidade conta, ainda, com o reforço do Expresso Vacina Olinda - um ônibus adaptado para vacinação contra covid-19 - FOTO: FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

Diferentemente de outras categorias, a vacinação contra a covid-19 dos profissionais do transporte público rodoviário está sendo limitada a motoristas e cobradores de ônibus em algumas cidades de Pernambuco. Fiscais, organizadores de fila e gestores de terminais, por exemplo, ficaram de fora desde que o governo de Pernambuco decidiu antecipar a imunização de todos os grupos prioritários, na quinta-feira (27/5). Por isso, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Pernambuco (Urbana-PE) está pedindo a ampliação.

Um documento com argumentações para a inclusão de outros profissionais que atuam diariamente no sistema foi encaminhado nesta terça-feira (1º/6) para o governador Paulo Câmara, o secretário estadual de Saúde, André Longo, o novo secretário de Desenvolvimento Urbano, Tomé Franca, os 14 prefeitos da Região Metropolitana do Recife e o Ministério Público de Pernambuco (MPPE). Segundo a Urbana-PE, por enquanto quem está limitando a vacinação são as cidades de Recife e Olinda. Enquanto Jaboatão dos Guararapes está vacinando todos os profissionais.

Aluísio Moreira/SEI
A motorista de ônibus Maria Lúcia Rocha de Moura, 44 anos, profissional do transporte público da Região Metropolitana do Recife há 13 anos foi a primeira a ser vacinada no Estado - Aluísio Moreira/SEI

No documento, o sindicato argumenta que todas as demais categorias profissionais tidas como prioritárias (metroviários, aeronautas, aquaviários, forças armadas, portuários, industriais, etc), foram incluídas completamente. E que a restrição dos rodoviários a apenas duas funções pode ser um indicativo de que houve uma interpretação equivocada do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a covid-19 (7ª edição). O quantitativo de profissionais no País seria a prova dessa interpretação errada.

"Medo de morrer está indo embora". O emocionante relato da primeira motorista de ônibus vacinada contra a covid-19 em Pernambuco

“O PNO, em seu Quadro 1 – Estimativa populacional para a Campanha Nacional de Vacinação contra a covid-19 – 2021 apresenta o quantitativo de 678.264 profissionais rodoviários, o que corresponde ao quantitativo total de trabalhadores do setor acima de 18 anos, de acordo com dados do CAGED 2020 e não apenas aos profissionais que exercem a função de motorista e cobrador”, diz o documento assinado pelo presidente da Urbana-PE, Fernando Bandeira.

CONFIRA O DOCUMENTO NA ÍNTEGRA:

Ampliação vacinação rodoviários em PE by Roberta Soares on Scribd

 

E segue usando como referência uma nota técnica que consta de um dos anexos do PNO e que orienta que a imunização dos rodoviários deve iniciar preferencialmente com os profissionais que estão expostos ao contato direto com passageiros e posteriormente os que exercem funções administrativas. “Está claro que a recomendação do Ministério da Saúde é contemplar, já no início da vacinação, não apenas motoristas e cobradores, mas todos os profissionais expostos ao contato direto com passageiros. É o caso dos funcionários das empresas de transportes coletivos que atuam como despachantes, fiscais, bilheteiros, auxiliares de tráfego, além dos servidores do Consórcio Grande Recife de Transporte Metropolitano (CTM) que atuam como fiscais, gestores de terminais, organizadores de fila, dentre outras funções, que foram indevidamente alijadas da vacinação”, diz o documento.

FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Vacinação de rodoviários em Olinda - FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM

E que os profissionais que exercem funções administrativas e de manutenção também não devem ser excluídos da lista de prioridades. Apenas devem vir em etapa posterior às funções que atuam com contato com passageiros. O diretor de Inovação da Urbana-PE, Marcelo Bandeira, reforça os argumentos apresentados no documento. “A nota técnica é clara ao dizer que todos os rodoviários são prioritários, mas que por uma necessidade de faseamento da vacinação, devem ser imunizados em primeiro lugar os que têm contato direto com o público, que estão na rua, no caso os motoristas e cobradores. Os outros profissionais têm uma exposição menor, mas também estão expostos porque interagem com os colegas que vêm da rua. Muitos deles, por exemplo, higienizam os veículos quando retornam para as garagens e podem vir a ter contato com uma superfície contaminada. Por isso o Ministério da Saúde coloca todas as categorias. Além disso, para nenhuma categoria foi feita uma diferenciação. Só a nossa foi segregada”, acrescenta.

 RECIFE

A Prefeitura do Recife informou, por nota, que a ampliação se dará quando a capital receber mais doses de vacinas. Confira a nota na íntegra:

"A Secretaria de Saúde do Recife esclarece que o Plano Recife Vacina está alinhado com os Planos nacional e estadual de Imunização contra a covid-19 e que, assim como preconiza o Plano Nacional de Vacinação contra a covid-19, iniciou a vacinação de rodoviários pelos profissionais que mantém contato direto com passageiros. À medida em que a cidade receber mais doses de imunizantes será possível ampliar e contemplar as demais funções que fazem parte deste grupo".

Já Olinda teria informado à Urbana-PE que na próxima semana estará ampliando a imunização para todas as funções do setor de transporte.

Comentários

Últimas notícias