COLUNA MOBILIDADE

Anistia a motocicletas em Pernambuco é estímulo a sinistros de trânsito, afirma Associação Brasileira de Medicina do Tráfego

Para Abramet, decisões como a de Pernambuco colocam mais motos nas ruas e aumentam os riscos de mortes e mutilações

Roberta Soares
Roberta Soares
Publicado em 18/09/2021 às 8:00
Foto: Pedro França / Agência Senado
No caso da CNH para quem conduz motocicletas, a grande novidade é a adição da categoria A1, que na convenção internacional corresponde a motos de até 125 cilindradas - FOTO: Foto: Pedro França / Agência Senado
Leitura:

A decisão do governo de Pernambuco de anistiar as dívidas de 2020 das motocicletas de até 162 cilindradas foi vista como uma decisão perigosa diante da crescente sinistralidade das motos no trânsito brasileiro. A avaliação é da Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet), que nesta sexta-feira (17/9) divulgou uma análise mostrando que o Sistema Único de Saúde (SUS) bateu recorde de atendimento às vítimas das duas rodas.

“A anistia é um estímulo ao uso de motocicletas. É fato. Aliás, o que o Brasil mais faz é estimular o uso e a aquisição de motos pela população. E quanto maior o uso, maiores são as chances de sinistralidades. É preciso lembrar que o risco sempre vai existir. Por isso, quanto mais gente circular de moto, maior o perigo. A pandemia de covid-19 está passando, as pessoas têm voltado às ruas depois de vacinadas, mas a pandemia das tragédias no trânsito continua”, afirma o presidente da Abramet, Antônio Meira Júnior.

ABRAMET/DIVULGAÇÃO
Antônio Meira, presidente da Abramet - ABRAMET/DIVULGAÇÃO

A Abramet alerta, ainda, para o fato de que os sinistros de trânsito envolvendo motocicletas costumam ser mais fatais e onerosos. Por isso, é preciso muito cuidado com estímulos ao uso de motos. “As vítimas da motocicleta sofrem lesões graves e são definidas na medicina como politraumatizados porque sofrem traumas em várias partes do corpo. Também são pacientes bem mais onerosos porque passam por cirurgias de grande porte: neurológicas, vasculares e ortopédicas, que exigem profissionais mais especializados e ficam mais tempo internados. Isso tudo precisa ser considerado pelo poder público”, reforça.

Não é mais acidente de trânsito. Agora, a definição é outra nas ruas, avenidas e estradas do Brasil

ANISTIA

O governador Paulo Câmara sancionou nesta quinta-feira (16/9) a lei que anistia as dívidas de motocicletas de baixa cilindrada geradas até o dia 31 de dezembro de 2020. O projeto foi votado e aprovado em regime de urgência na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). Agora, os motociclistas que tiverem débitos de IPVA, taxas de licenciamento anual e de bombeiros, além de diárias cobradas pelo depósito de motos apreendidas, até o dia 31 de dezembro de 2020 ficarão livres do débito.

Estrago das motos só aumenta no trânsito do Brasil. SUS bateu recorde de atendimentos

As regras, no entanto, só valem para as motocicletas de até 162 cilindradas. Esse limite de motorização foi imposto pelo governo porque representa a grande maioria dos veículos utilizados para o trabalho por entregadores, por exemplo. A anistia faz parte do Plano de Retomada do governo de Pernambuco, um pacote de ações para tentar reerguer a economia do Estado no pós-pandemia de covid-19, gerando mais emprego e renda.

Comentários

Últimas notícias