COLUNA MOBILIDADE

Na briga pelo passageiro dos aplicativos, como Uber e 99, taxistas do Grande Recife abrem mão do reajuste da tarifa. Entenda

A tradicional Bandeira 2 cobrada no mês de dezembro será cobrada também este ano

Roberta Soares
Roberta Soares
Publicado em 17/11/2021 às 11:51
Diego Nigro/JC Imagem
Taxistas apostam que serão mais atrativos porque os aplps terão o preço dinâmico no mês de dezembro - FOTO: Diego Nigro/JC Imagem
Leitura:

A busca pelo passageiro dos aplicativos de transporte, como Uber e 99 - que seguem sofrendo com os cancelamentos de corridas, é fundamental destacar -, fez com que os taxistas do Recife abrissem mão do reajuste de 7% da tarifa em 2022. Na verdade, impactados diretamente pelo domínio dos apps na mobilidade urbana do País, é o quinto ano consecutivo que os motoristas de táxi deixam de aprovar o aumento da bandeira do serviço por mais um ano.

A Bandeira 2, no entanto, será cobrada no mês de dezembro, prática que historicamente sempre garantiu o Natal da categoria porque aumenta em 18% o valor das corridas. Lembrando que a prática já é adotada diariamente à noite, entre 22h e 6h, aos domingos e feriados. “Recebemos a autorização da Prefeitura do Recife para uso da Bandeira 2 no período da 0h do dia 1° de dezembro de 2021 a 2 de janeiro de 2022, às 6h, como gratificação natalina. Mas a categoria decidiu abrir mão do reajuste da tarifa a partir de 2022. É o quinto ano seguido que adotamos essa postura exatamente para concorrer com os aplicativos de transporte”, afirma o presidente do Sindicato dos Taxistas de Pernambuco, Flávio Fortunato.

Foto: JC Imagem
É o quinto ano consecutivo sem reajuste, em média de 7%, da Bandeira 1 dos táxis - Foto: JC Imagem

ESTRATÉGIA

A categoria aposta que, mesmo cobrando a Bandeira 2 diariamente no mês de dezembro de 2021, terá um preço das viagens mais acessível do que o dos apps. Isso porque acredita que o preço dinâmico dos aplicativos irá dominar no mês devido à alta demanda provocada pela preparação para as festas de fim de ano. “A categoria, de fato, não abriu mão da cobrança da Bandeira 2 em dezembro porque é a nossa gratificação natalina. Mas, mesmo assim, nós teremos um preço competitivo porque os aplicativos têm o preço dinâmico, que pode elevar o valor da corrida entre 40% e 50%. Enquanto isso, os táxis terão o preço fixo, elevado em, no máximo, em 18%”, aposta Fortunato.

NEGOCIAÇÃO

Diante das dificuldades financeiras enfrentadas por toda a população brasileira - potencializadas com a pandemia de covid-19 -, o presidente dos taxistas diz que a categoria está aberta a rodar sem a cobrança da Bandeira 2. “O passageiro pode, sim, negociar com o taxista a cobrança da Bandeira 2. Ele poderá, por exemplo, pedir ao taxista para fazer a viagem sem o reajuste. A situação econômica do País permite isso”, pontua.

Comentários

Últimas notícias