COLUNA MOBILIDADE

Álcool e direção: crimes de trânsito aumentaram 25% nos últimos 12 meses em Pernambuco

O crescimento foi constatado pela Operação Lei Seca, que é coordenada pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) há quase 11 anos

Roberta Soares
Cadastrado por
Roberta Soares
Publicado em 31/03/2022 às 12:22 | Atualizado em 31/03/2022 às 15:32
BRENDA ALCÂNTARA/ACERVO JC IMAGEM
Decisão poderá dificultar em muito a aplicabilidade da legislação que marcou e marca um divisor de águas na matança promovida no trânsito brasileiro - FOTO: BRENDA ALCÂNTARA/ACERVO JC IMAGEM
Leitura:

Os crimes de alcoolemia ao volante, quando o índice de álcool ultrapassa 0,33 mg/l (0,33 miligramas de álcool por litro de ar) e o motorista é, além de multado, preso e encaminhado a uma delegacia de Polícia Civil, estão aumentando em Pernambuco.

O crescimento foi constatado pela Operação Lei Seca, que é coordenada pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) há quase 11 anos (completados em novembro de 2022). Os dados da SES apontam que houve um aumento de 25% nos últimos 12 meses.

Não é mais acidente de trânsito. Agora, a definição é outra nas ruas, avenidas e estradas do Brasil

Entre outubro de 2021 e março de 2022, foram 48 flagrantes de crimes de alcoolemia ao volante, enquanto que nos seis meses anteriores tinham sido 38 registros.

NE10
Entre outubro de 2021 e março de 2022, foram 48 flagrantes de crimes de alcoolemia ao volante, enquanto que nos seis meses anteriores tinham sido 38 registros - NE10

Embora o crime de trânsito seja ainda mais preocupante, os flagrantes de alcoolemia em geral também estão aumentando no Estado.

Nos últimos seis meses foram 2.892 registros, dos quais 2.508 foram recusas (quando o motorista se nega a fazer o teste do etilômetro, mas mesmo assim é autuado) e 336 constatações (quando faz o teste e o consumo de álcool é acusado).

Nos seis meses anteriores, foram 2.577 notificações, sendo 2.145 recusas e 394 constatações. Além dos crimes de trânsito em cada período.

Veja o vídeo com o motorista que colidiu contra um micro-ônibus e, para fugir, atropelou um pedestre:

É importante destacar que, no caso das recusas, quase sempre o condutor bebeu e, por isso, se nega a fazer o teste.

“Esse crescimento é algo preocupante. Já tínhamos percebido um aumento dos casos de alcoolemia ainda em 2021. E agora começamos a ver esse crescimento nos crimes de trânsito. Infelizmente”, afirma o coordenador da Operação Lei Seca, tenente-coronel Felipe Gondim.

Após Caso Tamarineira, outro motorista é condenado por crime de trânsito

Nos primeiros meses de 2021, a Operação Lei Seca, realizada predominantemente nas vias urbanas, já tinha registrado um aumento de 70% nos flagrantes de motoristas alcoolizados.

Foram mil flagrantes a mais de alcoolemia nos primeiros seis meses de 2021 em relação ao mesmo período de 2020. Enquanto de janeiro a junho de 2020 a Operação Lei Seca flagrou 1.504 motoristas sob efeito de álcool, no mesmo período de 2021 já eram 2.567 registros.

Depois, esse crescimento foi verificado também nas 11 rodovias federais que cortam Pernambuco, através dos registros da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

ARTES JC
Álcool - ARTES JC

POSSÍVEIS RAZÕES PARA O AUMENTO

Para o coordenador da Lei Seca, o crescimento dos flagrantes de alcoolemia é um reflexo real de que as pessoas estão bebendo e dirigindo mais, sem se preocupar com as consequências ou apostando que não vão ser flagradas.

E esse processo teria a ver com a pandemia. “Acredito que é o resultado do período de restrições a que a população foi submetida com a pandemia, com a ausência de eventos, shows e festas. E agora, com a liberação, estão voltando às ruas sem os cuidados necessários à condução de um veículo”, pontua.

O hábito e as facilidades de beber em casa, com o crescimento dos serviços de delivery, também pesam na avaliação de Felipe Gondim. 

BRENDA ALCÂNTARA/ACERVO JC IMAGEM
Excesso de velocidade e o consumo de álcool pelos motoristas estão associados à maioria dos sinistros de trânsito no Recife - BRENDA ALCÂNTARA/ACERVO JC IMAGEM

CASOS RECENTES

O descontrole de um condutor visivelmente alcoolizado que colidiu o veículo contra um microônibus do Sistema de Transporte Complementar do Recife e, para fugir do local, atropelou um pedestre e ameaçou o motorista, na terça-feira (29/3), nas Graças, bairro da Zona Norte do Recife, é reflexo dessa regressão que estamos vivendo no trânsito.

A mistura perigosa de álcool e direção vem ganhando destaque nas últimas semanas principalmente devido à condenação por homicídio doloso (com intenção) de motoristas que mataram no trânsito porque beberam e excederam a velocidade das vias.

O primeiro foi o julgamento da chamada Tragédia da Tamarineira, no qual o motorista João Victor Ribeiro foi condenado a 29 anos e quatro meses de prisão por matar três pessoas e ferir outras duas no trânsito, ao furar um cruzamento embriagado e a 108 km/h.

E o segundo, mais recente, foi a condenação de um condutor a 20 anos, sete meses e dez dias de reclusão em regime fechado em Caruaru, no Agreste do Estado. O motorista matou um casal e arrastou uma das vítimas por 500 metros sob o veículo.

Confira o julgamento da Tragédia da Tamarineira:


Caso Tamarineira: relembre a tragédia e a conclusão do caso do júri popular CASO TAMARINEIRA: PROMOTORA E JUÍZA BATEM BOCA NO JULGAMENTO Caso Tamarineira: "Só sendo um psicopata pra viver com a mente tranquila", diz motorista Caso Tamarineira: 3º dia do julgamento começa com depoimento do réu Caso Tamarineira: Júri é suspenso e será retomado com depoimento do réu Caso Tamarineira: pai do réu diz que, se pudesse, filho morreria no lugar da família CASO TAMARINEIRA: Julgamento do acusado de causar colisão chega ao segundo dia Caso Tamarineira: testemunhas depõem sobre dependência química do acusado Caso Tamarineira: júri é suspenso e será retomado nesta quarta-feira (16) Homem que causou colisão com três mortos na Tamarineira se desespera durante julgamento

Comentários

Últimas notícias