COLUNA MOBILIDADE

Infraestrutura urbana das cidades será pesquisada pelo IBGE. Você já sabe o resultado

Pela primeira vez, tópicos fundamentais para a mobilidade urbana estão incluídos, como é o caso da presença de obstáculos nas calçadas, vias sinalizadas para bicicletas e qualidade dos pontos de ônibus

Roberta Soares
Cadastrado por
Roberta Soares
Publicado em 20/06/2022 às 8:00
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
A arborização e a iluminação públicas, fundamentais para cidades mais sustentáveis e seguras, também serão itens avaliados. Pontos de ônibus também estão no pacote - FOTO: BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Leitura:

A infraestrutura urbana das cidades, incluindo tópicos fundamentais para a mobilidade sustentável, menos motorizada da população - como a arborização e a iluminação públicas - será foco de uma nova Pesquisa Urbanística de Entorno dos Domicílios, etapa preparatória para o Censo 2022 realizado pelo IBGE.

Além destes tópicos, serão analisadas a pavimentação, capacidade de circulação das vias, existência de calçadas, rampas para cadeirantes, presença de obstáculos nas calçadas, sinalização para bicicletas e qualidade dos pontos de ônibus, além da presença de bueiros ou bocas de lobo nas vias.

Confira o especial multimídia PELO CAMINHAR

Confira o especial multimídia ELES SÓ QUERIAM PEDALAR

Ou seja, as condições urbanas da mobilidade nas cidades. O objetivo da pesquisa é que os quesitos investigados sirvam de subsídio para políticas públicas nas três esferas de governo (federal, estadual e municipal), envolvendo saneamento básico, mobilidade urbana, acessibilidade, segurança pública e meio ambiente.

FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Sinalização das vias para o uso da bicicleta também será analisada pelo IBGE - FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM

NOVIDADES DA PESQUISA

A pesquisa tem início em todo o País nesta segunda-feira (20/6) e previsão de que a área urbana das cidades sejam percorridas pelos 12 mil agentes censitários até o dia 12 de julho. Dos dez itens do questionário que será preenchido, três são inéditos: presença de obstáculos nas calçadas, vias sinalizadas para bicicletas e qualidade dos pontos de ônibus. Os três não foram pesquisados nem no Censo 2010 nem pela PNAD Contínua.

Em Pernambuco, 987 agentes censitários municipais (ACMs) e agentes censitários supervisores (ACS) preencherão o questionário em um dispositivo móvel de coleta (DMC), com identificação do IBGE, rastreado por satélite e bloqueado para uso exclusivo da instituição.

ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
A qualidade das calçadas e o nível de obstáculos encontrados sobre elas são outros aspectos avaliados - ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM

Nesta etapa, a coleta será feita apenas por observação e não haverá abordagem aos moradores. A coleta de informação nos domicílios começará em 1º de agosto, sendo realizada pelo recenseador. Segundo o IBGE, é a primeira vez que a pesquisa inclui ocupações irregulares em áreas urbanas, como favelas, palafitas e comunidades. Tudo é monitorado via GPS.

 

Comentários

Últimas notícias