Opinião

Grupo de parlamentares cria projeto que propõe cotas para candidatos pretos e pardos

Leia a opinião de Romoaldo de Souza

Romoaldo de Souza
Romoaldo de Souza
Publicado em 05/08/2020 às 7:37
Notícia

Divulgação
. - FOTO: Divulgação
Leitura:

Um grupo de parlamentares representando movimentos negros, protocolou um projeto na Câmara dos Deputados, propondo que sejam criadas cotas para candidatos pretos e pardos. Vindo a ser aprovado, a regra já valeria para as eleições de 2022.

A justificativa para o projeto é para que nas assembleias legislativas, na Câmaras dos Deputados e no Senado Federal a representação de pretos e pardos seja ainda maior, e no mínimo que traduza o que é a sociedade brasileira.

Para que essa proporção possa ganhar corpo, o projeto propõe que os recursos dos fundos eleitoral e partidário sejam proporcionalmente distribuído entre candidaturas de brancos de um lado e pretos e pardos de outro.

O meu comentário: longe de mim de achar o projeto sem fundamento. Ao contrário. Assim como no passado, também defendi que 30% das candidaturas fossem reservadas para as mulheres, é importante o engajamento de toda a sociedade para que os legislativos estaduais e o Congresso brasileiro sejam o mais representativo possível.

Agora, que não seja apenas para cumprir tabela, como fazem muitas legendas onde as mulheres estão ali somente para preencher o percentual de 30%, muitas delas, saem das eleições sem um voto sequer.

No caso de pretos e pardos, que sejam lideranças representativas. Lideranças de centro, da esquerda, da direita. Líderes honestos que é hoje uma escassez na maioria dos partidos políticos.

Pense nisso!

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias