Justiça

Juiz pede criação de Vara exclusiva para crimes com torcedores em Pernambuco

Proposta será discutida com o presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco. Nesta terça-feira, dez membros de torcidas organizadas extintas foram presos

Raphael Guerra
Raphael Guerra
Publicado em 15/09/2020 às 15:03
Notícia

BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
CORE deflagrou na manhã desta terça (15) a Operação Returno que prendeu integrantes da torcida Jovem. - FOTO: BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Leitura:

O juiz Flávio Fontes, titular do Juizado do Torcedor, propõe um foco maior para dar mais celeridade nos processos envolvendo integrantes de torcidas organizadas em Pernambuco. Para isso, a ideia é criar uma Vara exclusiva para esses delitos. A proposta foi discutida durante uma recente reunião do grupo de trabalho - formado também por representantes da Polícia Civil e do Ministério Público - que atua para acabar com a violência das organizadas, principalmente em dias de jogos. Nesta terça-feira (15), duas operações prenderam dez pessoas suspeitas de ataques a torcedores rivais

"Atualmente, o Juizado do Torcedor só alcança processos em que as penas são de até dois anos. O alcance é muito pequeno. Com a criação de uma Vara, vamos concentrar todos os processos lá e combater esses crimes de forma mais rápida", afirmou o magistrado.

Uma reunião será agendada com o presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), Fernando Cerqueira, para discutir o assunto. "Bastaria uma lei estadual para que isso acontecesse. O TJPE leva o projeto para a Assembleia Legislativa, que aprova e o governador sanciona", disse Fontes. 

Sobre as operações deflagradas nesta terça-feira, o juiz pontou que as ações continuam para identificar todos os líderes dos grupos criminosos. "Há ações também para interceptar as movimentações financeiras dessas torcidas. A inteligência (da polícia) está checando."

POLÍTICOS INVESTIGADOS 

Durante as operações para prender integrantes das torcidas, policiais apreenderam um caderno de contabilidade que estava na casa do presidente da Torcida Jovem do Sport - um dos presos nesta manhã. Nas anotações, havia nomes de políticos que atuam no Estado e valores supostamente doados à organização. O material será analisado e eles também serão investigados.

"A gente está analisando o caderno, porque há uma movimentação financeira, supostamente de doações feitas por vereadores do Recife e deputados estaduais. A gente vai verificar se se trata de alguma contabilidade legal ou se alguém está financiando atividades ilegais. Já temos alguns nomes e sabemos que há doações recentes. Se for o caso, vamos intimar essas pessoas e elas podem vir a responder por associação criminosa", afirmou o delegado Joel Venâncio, gestor do Comando de Operações e Recursos Especiais (Core). 

OPERAÇÕES

Uma das operações desta terça-feira está relacionada ao ataque aos torcedores do Santa Cruz, em 03 de fevereiro deste ano. Na ocasião, um grupo comemorava o aniversário de 106 anos de fundação do time, na área central do Recife, quando foi alvo da organização criminosa.

"Por meio de vídeos, conseguimos identificar algumas dessas pessoas", disse o delegado Joel Venâncio. Os presos, com idades entre 19 e 34 anos, vão responder por associação criminosa, lesão corporal, provocação de tumulto e corrupção de menor (havia adolescentes participando dessas confusões).

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias