SEGURANÇA

Em Pernambuco, aprovados em concursos das polícias cobram início dos cursos de formação

Governo do Estado havia prometido que as aulas começariam no mês passado. Agora, não há mais previsão

Raphael Guerra
Raphael Guerra
Publicado em 05/07/2021 às 17:15
Notícia
TIÃO SIQUEIRA/JC IMAGEM
Protestos no Recife foram realizados, no primeiro semestre deste ano, para cobrar a convocação dos aprovados - FOTO: TIÃO SIQUEIRA/JC IMAGEM
Leitura:

Aprovados nos concursos das polícias Civil, Militar e Científica e do Corpo de Bombeiros seguem à espera por informações sobre quando, finalmente, irão começar os cursos de formação. Depois de todo um semestre de ansiedade e adiamentos, o governo de Pernambuco liberou a matrícula dos 1.085 aprovados no mês passado. A promessa era de que ainda em junho as aulas começassem, mas isso não ocorreu. E nenhuma nova previsão foi dada. 

A situação complica mais ainda porque há um déficit histórico de profissionais da segurança pública no Estado. Só da Polícia Militar, segundo o Portal da Transparência, faltam mais de 10 mil para completar o efetivo mínimo. Com o atraso dos cursos de formação, possivelmente os novos 750 PMs só estarão nas ruas, fazendo a segurança da população, em 2022. 

Para os aprovados, já matriculados, as dificuldades também aumentam. Muitos não têm residência no Recife, mas já se mudaram para a capital pernambucana porque acreditavam que as aulas começariam ainda no mês passado. Estão desempregados, pagando aluguel, alimentação, fazendo dívidas. E nada de respostas. 

A coluna Ronda JC solicitou à assessoria de comunicação da Secretaria de Defesa Social (SDS) um posicionamento. E eis a resposta: "Assim que for fechado, o cronograma de início dos cursos de formação será divulgado".

HOMOLOGAÇÃO

Depois de tantos adiamentos e vários protestos no Recife, o governador Paulo Câmara homologou, em 14 de maio, a convocação dos aprovados nos concursos. Ao todo, são 750 profissionais para os cargos de soldados da Polícia Militar; 100 para os cargos de soldados do Corpo dos Bombeiros; 80 oficiais, sendo 60 da Polícia Militar e 20 do Corpo de Bombeiros; além de 60 concursados para os cargos de delegado da Polícia Civil e 95 para compor a Polícia Científica.

Para tornar possível a realização dos cursos no contexto da pandemia do novo coronavírus, as academias estão sendo preparadas dentro dos protocolos sanitários de distanciamento social, conforme informado pelo governo. Além disso, as turmas serão menores e haverá higienização constante dos ambientes.


Comentários

Últimas notícias