CRIME

Assassinato do promotor de Itaíba Thiago Faria completa 8 anos; relembre

Acusados pelo homicídio, na PE-300, no Agreste de Pernambuco, foram condenados pela Justiça Federal

Raphael Guerra
Raphael Guerra
Publicado em 14/10/2021 às 19:57
Notícia
Foto: acervo pessoal
Thiago Faria era promotor da cidade de Itaíba - FOTO: Foto: acervo pessoal
Leitura:

O assassinato do promotor de Justiça Thiago Faria de Godoy Magalhães, 36, completou oito anos nesta quinta-feira (14). A vítima passava pela PE-300, em direção ao município de Itaíba, Agreste de Pernambuco, onde trabalhava, quando teve o veículo bloqueado por outro carro. Os assassinos desceram e já foram atirando.

No momento do crime, na manhã do dia 14 de outubro de 2013, o promotor estava acompanhado da noiva, a advogada Mysheva Martins, e do tio dela, Adautivo Martins. Ambos sobreviveram. 

A motivação do crime, segundo as investigações, deveu-se a disputa de terras. Thiago atuou de maneira incisiva na imissão de posse da Fazenda Nova, onde o mandante do crime, José Maria Rosendo, morava e que foi desapropriada em favor de Mysheva, que arrematou 25 hectares da fazenda, incluindo a casa-sede, em um leilão da Justiça Federal.

JC Imagem/Arquivo
José Maria Pedro Rosendo foi apontado como mentor do crime contra o promotor - JC Imagem/Arquivo

Um ano após o homicídio, sem conclusão da Polícia Civil e com linhas de investigação contraditórias, a Polícia Federal em Pernambuco entrou na investigação. A decisão da federalização foi tomada por unanimidade pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) em agosto de 2014, após pedido feito pelo procurador-geral da República na época, Rodrigo Janot. 

CONDENAÇÕES

Três anos após o homicídio, em outubro de 2016, dois acusados foram condenados. José Maria Pedro Rosendo Barbosa, apontado como mentor do crime, pegou 50 anos e quatro meses de reclusão pelos crimes de homicídio contra o promotor e tentativa de homicídio contra Mysheva e Adautivo.

José Marisvaldo Vitor da Silva acabou sentenciado a 40 anos e oito meses de reclusão pelos mesmos crimes. Adeíldo Ferreira dos Santos foi absolvido, pois os jurados não consideraram as provas contra ele consistentes. Em dezembro do mesmo ano, José Maria Domingos Cavalcante acabou condenado a 19 anos de prisão por participação na morte do promotor de Justiça. Um quinto envolvido, Antônio Cavalcante Filho, encontra-se foragido desde a época do crime.

José Maria Rosendo chegou a fugir da Penitenciária Barreto Campelo, em Itamaracá, em fevereiro de 2019. Mas foi capturado em julho do mesmo ano, na cidade de Corumbá, divisa do Brasil com a Bolívia, no Mato Grosso do Sul.

HISTÓRICO

Thiago Faria era graduado em Direito na Universidade Federal do Rio de Janeiro, com especialização em Direito Privado. Além da vida jurista, ele era autor de livros voltados para a prova da OAB e para concursos públicos diversos. O promotor de Justiça também escreveu diversos artigos publicados em revistas especializadas e era professor de cursinhos para concursos.

Ele havia ingressado no Ministério Público de Pernambuco (MPPE) em dezembro do ano anterior, sendo aprovado no concurso público em 2008.

Comentários

Últimas notícias