INVESTIGAÇÃO

O que a polícia já sabe sobre os arrombamentos em prédios de luxo em Boa Viagem

Bem vestidas, de máscara e com bom papo: garotas suspeitas de furtar apartamentos foram apreendidas no Recife

Raphael Guerra
Raphael Guerra
Publicado em 30/11/2021 às 6:30
Notícia
Reprodução / TV Jornal
Adolescentes foram autuadas por ato infracional, na noite do último domingo (28) - FOTO: Reprodução / TV Jornal
Leitura:

Bem vestidas, de máscara e falando de forma bem articulada. As adolescentes de 15 e 16 anos, apreendidas no último domingo (28) ao serem flagradas tentando arrombar um apartamento de um prédio de luxo na Avenida Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, pareciam livres de qualquer suspeita. Enganavam porteiros, acessavam os imóveis e levavam o que queriam, saindo com as sacolas pela porta da frente. A Delegacia de Boa Viagem, responsável pela investigação, já identificou ao menos três casos de furtos em apartamentos com a suposta participação da dupla. Outras tentativas de arrombamentos também estão sendo analisadas, com base nas imagens de câmeras de segurança.  

A polícia já sabe que as duas garotas teriam vindo de São Paulo para o Recife, há pelo menos uma semana. Também contariam com a ajuda de pelo menos dois homens, que ficavam do lado de fora para dar cobertura, além de um terceiro, que atuava como motorista na fuga. Eles ainda não foram capturados. O condomínio onde mora o chefe da Polícia Civil de Pernambuco, Nehemias Falcão, foi um dos alvos, segundo apuração da coluna Ronda JC. 

O delegado seccional de Boa Viagem, Felipe Monteiro, explicou que as adolescentes já estavam sendo procuradas pela polícia. "Já havia mandados de busca e apreensão por casos semelhantes registrados no Rio de Janeiro e em São Paulo. Elas se valiam da fragilidade na segurança dos prédios para ter acesso, a partir da interação com os porteiros. Outros possíveis integrantes do grupo estão sendo investigados", disse.

Monteiro pontuou ainda que a primeira denúncia de arrombamento foi registrada no último dia 23. "Estamos analisando imagens de câmeras de vários prédios." O delegado Alfredo Jorge está à frente do caso.

COMO DUPLA AGIA

Thiago Lucas/ Artes JC
Investida - Thiago Lucas/ Artes JC

As adolescentes conseguiam acessar os edifícios com facilidade. Elas se apresentavam na portaria dizendo que iriam visitar um morador. " [Depois] Elas batiam nas portas dos apartamentos. Se alguém atendesse, conversavam e iam para outro apartamento. Caso ninguém abrisse a porta, elas pegavam a chave de fenda, arrombavam o apartamento e furtavam os objetos. Elas não chamavam a atenção, porque estavam bem vestidas e de máscara", explicou o tenente Mickson Pereira, do 19º Batalhão da Polícia Militar.

Segundo a Polícia Civil de Pernambuco, as adolescentes foram autuadas em flagrante por ato infracional equivalente ao crime de tentativa a roubo em residência. Elas foram apresentadas, ontem, ao Ministério Público de Pernambuco. O destino das garotas será definido junto à Vara da Infância e Juventude da Capital.

JORNALISTA FOI VÍTIMA

A investida ao condomínio onde mora o chefe da Polícia Civil ocorreu no horário da manhã da última sexta-feira (26). Depois de conseguirem entrar no local, elas foram até um apartamento, que ainda não se sabe se foi escolhido aleatoriamente, e conseguiram subtrair vários pertences - como jóias e celular. Elas usaram uma chave de fenda. No local, mora um jornalista com a família. Uma perícia do Instituto de Criminalística (IC) já foi feita no local. O prejuízo material ainda está sendo calculado pelas vítimas.

AUMENTO

Os Crimes Contra o Patrimônio (CVPs), que englobam os roubos e furtos, voltaram a crescer pelo terceiro mês consecutivo em Pernambuco. Segundo dados divulgados pela Secretaria de Defesa Social (SDS), 4.039 roubos e furtos foram contabilizados pela polícia no último mês de outubro. Já no mesmo período de 2020, foram 3.934 ocorrências desse tipo.

Apesar do aumento dos casos, observado nos meses de agosto, setembro e outubro, o Estado acumula uma pequena queda dos índices no acumulado dos dez primeiros meses do ano. De janeiro a outubro deste ano, foram 43.067 registros de CVPs. No mesmo período de 2020, foram 44.737. A redução é de 3,7%.

Comentários

Últimas notícias