VIOLÊNCIA

Pernambuco reduz homicídios em 2021, mas não atinge meta do Pacto pela Vida

No total, oficialmente, 3.370 pessoas foram assassinadas no ano passado. Em média, foram 9,2 mortes por dia

Raphael Guerra
Raphael Guerra
Publicado em 17/01/2022 às 18:10
GUGA MATOS/JC IMAGEM
Crimes contra a vida cresceram na capital pernambucana no ano passado - FOTO: GUGA MATOS/JC IMAGEM
Leitura:

Atualizada às 20h30

Pernambuco fechou o ano de 2021 com uma média de nove assassinatos por dia. Ao todo, segundo dados da Secretaria de Defesa Social (SDS), 3.370 pessoas foram mortas de forma violenta. Se comparado com 2020, quando houve 3.759 vítimas, o Estado conseguiu uma redução de 10,3%. Mesmo assim, não atingiu a meta do Pacto pela Vida, que é de queda anual de 12%. 

A capital pernambucana foi uma pedra no sapato do governo do Estado. Ao longo do ano, os números registraram oscilações e, durante meses, aumento da violência. Recife fechou 2021 com 562 homicídios - um a mais do que em 2020. A disputa entre facções pelo domínio do tráfico de drogas foi uma das principais motivações dos crimes contra a vida.

As outras regiões do Estado tiveram redução dos homicídios, segundo a SDS. A Zona da Mata, com 652 vítimas, teve recuo de 16,2% em relação às 778 mortes de 2020. Agreste e Sertão apresentaram a mesma proporção de queda nesse tipo de crime, com -12,87%. O conjunto de municípios do Agreste terminou o ano passado com 772 vítimas, contra 886 no ano anterior. Já o Sertão teve 413 mortes violentas em 2021, enquanto em 2020 haviam sido 474. Na Região Metropolitana, a retração chegou a 8,4%, pois em 2021 ocorreram 971 mortes e em 2020 tinham sido 1.060. 

Para a socióloga Edna Jatobá, que é coordenadora do Gabinete de Assessoria Jurídica às Organizações Populares (Gajop), a continuidade da pandemia da covid-19 e das medidas de restrição, principalmente no primeiro semestre de 2021, contribuíram para a redução da violência. "Havia menos gente nas ruas, menos atividades. Bares estavam fechados. Ainda assim, mais de 3 mil mortes é um número muito alto. Não há motivo para comemorar", afirma. 

Edna destaca ainda os homicídios praticados dentro de residências no Grande Recife. "O número de mortes é alto, o que demonstra que esses crimes são premeditados. São sempre muito semelhantes: são homens que chegam em motos, invadem as casas e praticam os crimes. A inteligência policial precisa agir de forma mais eficaz para tentar evitar esses casos", avalia. 

O QUE DIZ A SDS

"O objetivo do estado de Pernambuco era proporcionar aos cidadãos um 2021 mais seguro do que foi o ano anterior, e essa meta foi atingida, tanto que conseguimos prender mais de 2.300 acusados de homicídio. Um resultado que deriva do comprometimento e da dedicação incansável dos servidores que fazem a segurança pública estadual, da Secretaria de Defesa Social e das Polícias Militar, Civil e Científica, bem como do Corpo de Bombeiros Militar. Foi um ano em que pudemos investir ainda mais no reforço do efetivo e na modernização tecnológica, com a convocação de mais de dois mil novos profissionais aprovados em concurso, a criação do Boletim Integrado de Defesa Social (Bids) e a digitalização e expansão do sistema de radiocomunicação para todo o território do Estado. Para 2022, estaremos ainda mais empenhados em possibilitar um Pernambuco com menos violência e mais proteção a toda a sociedade", avaliou, por meio de nota, o secretário de Defesa Social em exercício, Rinaldo de Souza.



Comentários

Últimas notícias