COLUNA JC SAÚDE E BEM-ESTAR

"Batalha contra covid-19 está longe de acabar", diz secretário sobre prudência no afrouxamento das regras em Pernambuco

Retomada foi estacionada por uma semana no Grande Recife e no Sertão, devido ao sobe e desce da curva epidêmica

Cinthya Leite
Cinthya Leite
Publicado em 09/07/2020 às 19:48
Notícia
PEDRO MENEZES/SEI
"Não teremos avanço de fase na Região Metropolitana do Recife e no Sertão na próxima segunda-feira (13)", anunciou André Longo - FOTO: PEDRO MENEZES/SEI
Leitura:

Em coletiva de imprensa transmitida pela internet nesta quinta-feira (9), o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, anunciou a liberação da realização de jogos de futebol em todo o Estado, a partir do dia 19, como também do funcionamento de serviços de alimentação e academias de ginástica no Grande Recife, nas Matas Norte e Sul. Apesar do afrouxamento das medidas restritivas de combate ao novo coronavírus, com o seguimento dessa etapa seis do Plano de Convivência com a Covid-19, o secretário reforçou a necessidade da continuidade de cuidados neste momento de retomada das atividades socioeconômicas. "Precisamos da responsabilidade de todos em cada momento que se permite viver uma nova normalidade. Se nossas atitudes tiverem impacto na transmissão do vírus e na rede hospitalar, comprometendo a saúde das pessoas, não hesitaremos em dar passos para trás no plano de convivência", disse André Longo.  

O recuo, na Região Metropolitana do Recife, não foi necessário - pelo menos, por enquanto. Mas a retomada foi estacionada. Com o sobe e desce da curva epidêmica no Estado, especialmente pelo cenário não homogêneo de casos e óbitos, o governo optou pelo reforço da cautela, que já vem como reflexo do que foi observado na última semana em Pernambuco. "Na semana passada, foram registrados 571 novos casos graves e 158 óbitos pela doença, uma redução de 75% no número de casos graves e 79% de mortes (em comparação com a semana de pico, verificada de 10 a 16 de maio). Mesmo assim, notamos na última semana, comparando com a semana anterior, uma mudança no comportamento com atenuação da queda antes percebida e um pequeno incremento no número de casos", destacou o secretário.

Boletim divulgado na quarta-feira (8), pelo Ministério da Saúde, revelou que foi observado, em Pernambuco, um aumento de 7% no número de novos registros de casos de covid-19 na semena epidemiológica 27 (de 28 de junho a 4 de julho), em comparação com a semana 26 (21 de junho a 27 de junho). 

Dessa maneira, o governo do Estado tem observado com maior cuidado esse comportamento da curva epidêmica, em especial nos últimos quatro dias (referente à 28ª semana). "Dessa maneira, percebemos uma recuperação da tendência de queda (na atual semana). Esse dado (de pequeno incremento no volume de casos) não encontrou respaldo também na solicitação de internação (em vagas) de enfermaria e UTIs. Além disso, a nossa taxa de ocupação de leitos continua em queda, chegando a patamares inferiores a 68%, em especial na Região Metropolitana do Recife", acrescentou Longo.  

Para um retorno com maior segurança às atividades socioeconômicas, o gestor frisou que não haverá avanço de fase no Grande Recife e no Sertão nesta segunda-feira (13). "A única região que vai avançar é a do Agreste do Estado, que vem apresentando melhoria nos indicadores após o período de quarentena e vai para a fase 4, igualando-se a atividades já liberadas na terceira e quarta macrorregiões de Saúde."

O secretário reforçou a necessidade de a população praticar o distanciamento social, mesmo neste momento de retomada gradual da economia, além de pedir que as pessoas não deixem de lavar as mãos constantemente nem de usar corretamente as máscaras quando precisarem sair de casa. "A batalha contra a covid-19 continua, ela está longe de acabar. Todos nós precisamos ter compromisso neste momento com o enfrentamento à doença no nosso Estado." 

Confira os casos da covid-19 em Pernambuco por município:

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias