COLUNA JC SAÚDE E BEM-ESTAR

Em Pernambuco, 'passaporte da vacina' será obrigatório para frequentar estabelecimentos públicos; veja a partir de quando

Entrada nos locais vinculados ao governo do Estado só será possível a pessoas que comprovarem estar completamente imunizadas contra a covid-19

Cinthya Leite
Cinthya Leite
Publicado em 25/11/2021 às 19:01
Notícia
TIÃO SIQUEIRA/JC IMAGEM
Exigência do comprovante de vacinação tem como objetivo proteger a população e incentivar a vacinação de todos contra a covid-19 - FOTO: TIÃO SIQUEIRA/JC IMAGEM
Leitura:

Atualizada em 01.12.21, às 7h05

A apresentação do comprovante de vacinação com esquema completo contra a covid-19 será uma realidade, a partir de 6 de dezembro, para quem quiser frequentar os estabelecimentos públicos em Pernambuco. Ou seja, sem o documento, não será possível ter acesso a esses espaços. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (25), em coletiva de imprensa, pelos secretários Estaduais André Longo (Saúde) e Alexandre Rebêlo (Planejamento e Gestão).

Leia também: 

O decreto com todas as regras para cumprimento da norma será publicado, nos próximos, dias no Diário Oficial do Estado. "Apesar da estabilidade no cenário epidemiológico da covid-19, registrada em Pernambuco, nas últimas semanas, não podemos ter a falsa sensação de que a pandemia acabou. A iniciativa tem como objetivo proteger a população e incentivar a vacinação de todos contra a doença", disse André Longo.

Importância de completar o esquema vacinal

Ciente da situação na Europa, onde a covid-19 retoma a força, o secretário alertou para a importância de os pernambucanos não deixarem de lado a vacinação. "Dados divulgados pelo Centro Europeu de Controle de Doenças apontam que os locais com maiores índices de vacinados estão registrando menos mortes, comprovando que as vacinas, além de seguras, salvam vidas. O que temos hoje é uma pandemia em pessoas não totalmente vacinadas."

Nesse contexto, Longo ainda convocou a população para tomar a dose de reforço. "As evidências apontam que, especialmente nas pessoas com idade mais avançada, o organismo vai perdendo a memória imunológica ao longo do tempo, o que diminui a proteção ao passar dos meses. É preciso reforçar o sistema. Nós já atingimos percentuais acima de 90% na segunda dose na população acima dos 60 anos. Agora, precisamos fazer o chamado para que essas pessoas aumentem a sua proteção com a dose de reforço."

Dados da Secretaria Estadual de Saúde (SES) mostram que 590.103 pernambucanos estão com a segunda dose da vacina contra o coronavírus em atraso. "Uma única dose não é o suficiente para garantir uma proteção robusta. Aqui em Pernambuco, por exemplo, 20% das pessoas internadas com a forma grave da covid-19 estavam vacinadas com apenas uma dose. Além disso, 17% dos pacientes que foram a óbito também se encontravam nas mesmas condições", informou.

Pernambuco já aplicou 13.375.948 doses de vacinas contra a covid-19 desde o início da campanha de imunização, no dia 18 de janeiro. Com relação às primeiras doses, foram 7.153.232 aplicações (cobertura de 92,99%). Do total, 5.605.997 pernambucanos (72,88%) já completaram seus esquemas vacinais, sendo 5.432.924 com imunizantes aplicados em duas doses e outros 173.073 com dose única. As doses de reforço aplicadas somam 616.719.

Aumento da capacidade de público

Ainda durante a coletiva de imprensa, o secretário Alexandre Rebêlo apresentou novas regras para o setor de eventos e para o funcionamento dos estabelecimentos de alimentação. Elas serão válidas a partir da próxima segunda-feira (29). "Os eventos passam a receber um público de até 7.500 pessoas, ou 50% da capacidade do espaço. Lembramos que continua sendo necessária a apresentação da comprovação do ciclo vacinal completo em locais acima de 300 pessoas. Bares e restaurantes poderão aumentar a capacidade das mesas para até 50 pessoas", disse o secretário de Planejamento e Gestão.


Comentários

Últimas notícias