Caso Miguel

No Encontro, Fátima Bernardes vai às lágrimas em entrevista com mãe de Miguel

Mirtes Renata revelou que moverá "céus e terra" para que a justiça pela morte de seu filho seja feita

Vanessa Moura
Vanessa Moura
Publicado em 05/06/2020 às 10:53
Notícia
Reprodução/TV Globo
Entrevista entre Mirtes Renata e Fátima Bernardes, nesta sexta-feira (05), no programa matutino "Encontro", da Rede Globo - FOTO: Reprodução/TV Globo
Leitura:

Em conversa emocionante com Mirtes Renata, mãe do menino Miguel Otávio, que morreu na última terça-feira (02), após cair de uma altura de 35 metros de um prédio no Recife, Fátima Bernardes não conseguiu conter as lágrimas. No Encontro, exibido na manhã desta sexta-feira (05), pela Rede Globo, a mãe de Miguel contou à apresentadora detalhes sobre os momentos que antecederam a morte do filho, falou sobre sua relação de carinho com os filhos da ex-patroa, que foi autuada pelo homicídio culposo de Miguel, e revelou ainda que, se preciso, "moverá céus e terra" para que a justiça pela morte de seu filho seja feita.

>>Caso Miguel: moradores do prédio onde filho de empregada doméstica morreu lamentam tragédia

>>Petição que cobra justiça por Miguel, criança que caiu de prédio no Recife, ultrapassa 400 mil assinaturas

>>Ciara Carvalho: A dor de Mirtes e o choro de Miguel Otávio

>>'Investigação e esclarecimento devem acontecer no prazo mais breve possível', diz governador de Pernambuco sobre morte de Miguel

O menino Miguel, de 5 anos, morreu na última terça, num edifício localizado na área central do Recife, onde sua mãe, Mirtes Renata, trabalhava como empregada doméstica. No momento da queda do filho, Mirtes havia saído para levar o cachorro dos patrões para passear, enquanto isso, Miguel deveria ficar sob a responsabilidade de Sarí Côrte Real, patroa de Mirtes. Em vídeos divulgados pela segurança do edifício, Sarí apareceu deixando o menino entrar sozinho no elevador de serviço do prédio. Ao sair, a criança caiu de uma altura de 35 metros. Miguel ainda foi socorrido, mas não resistiu. 

Para Mirtes, que relatou sempre ter tido uma relação de muito carinho e cuidado com os filhos da ex-patroa, Sarí não teve este mesmo zelo por seu filho, e foi negligente. Após ter acesso aos vídeos divulgados, Mirtes ligou para patroa e questionou a forma como ela lidou com a situação. "Eu liguei pra ela e perguntei porque ela não tirou meu filho do elevador. Eu disse 'Sarí, eu amo teus filhos como se fossem meus, o único minuto que eu confiei meu filho à você, você o deixou naquela situação, dentro do elevador, em risco. Se fosse a filha dela lá eu teria tirado”, disse emocionada.

Reprodução/Twitter
Mirtes Renata e Miguel Otávio. O menino, de 5 anos, morreu na último terça-feira (02) - Reprodução/Twitter

Ao falar de Miguel, que teve sua vida interrompida de forma tão brutal, Mirtes confessou que, para ela, a coisa mais importante era o bem-estar de seu filho. "Eu adorava ver meu filho bem arrumadinho, com um sapato bem bolado, uma roupa bem estilosa. Eu adorava ver meu filho com o cabelo bem cortadinho, com o próprio shampoo, próprio condicionador, do melhor que o meu bolso pudesse dar eu comprava pra ele. Eu não limpava o 'bumbum' do meu filho com papel higiênico não, eu limpava com lenço umedecido pra não machucar o bumbum lindo do meu filho que eu dava cheiro", disse ela em relato comovente. "Eu não vou ter mais o meu neguinho comigo, eu não vou ter mais o meu amor, a minha vida", completou. 

Veja este trecho: 

Sarí Côrte Real, ex-patroa de Mirtes, é esposa de Sérgio Hacker (PSB), prefeito do município de Tamandaré, litoral sul de Pernambuco. A mulher foi presa em flagrante, mas foi liberada pouco tempo depois após pagamento de fiança de R$ 20 mil. Sarí aguardará a conclusão do inquérito em liberdade. Ainda no Encontro desta sexta, uma nota enviada pela assessoria de Sérgio Hacker, informou que ele encontra-se profundamente abalado com o ocorrido e que no devido momento irá falar a respeito

Ao fim da entrevista, Fátima Bernardes, já bastante abalada, pediu justiça e afirmou que, neste momento, muitas lágrimas se juntam às de Mirtes pela morte precoce de Miguel. "Mirtes, se eu posso te dizer alguma coisa é que seu coração fique em paz pelo menino que você teve por esse tempo com você, e tenha certeza que muitas lágrimas neste momento estão se juntando às suas, e muitas orações também para que você seja forte e consiga tocar sua vida na medida do possível com a sua mãe. Nós não estamos aqui pra julgar ninguém, estamos aqui pra pedir justiça para que o caso não seja esquecido e chegue até a apuração final", finalizou a a jornalista com voz embargada. 

Tipificação do crime

A Polícia Civil deve encaminhar ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE), nos próximos dias, a conclusão do inquérito sobre a morte de Miguel Otávio Santana da Silva, de 5 anos. O delegado Ramon Teixeira autuou em flagrante a patroa da mãe do garoto, Sarí Côrte Real, por homicídio culposo. Segundo ele, a suspeita foi negligente por deixar Miguel usar um elevador sozinho, mas não teve a intenção de matá-lo. A pena para esse crime é de até três anos de detenção. Na prática, a Justiça pode decidir que Sarí deve prestar serviços à comunidade, por exemplo. Mas, claro, essa pena dependerá da interpretação do juiz.

Mas o caso ainda pode ter uma reviravolta. Quando o inquérito chagar ao MPPE, o promotor de Justiça responsável irá analisar provas materiais e depoimentos. E decidirá se denuncia Sarí Côrte Real por homicídio culposo ou doloso (quando há intenção de matar).

Veja a reação dos internautas no Twitter após a entrevista de Mirtes no Encontro:

No Twitter, a participação de Mirtes no Encontro desta sexta foi bastante comentada por internautas de todo o país. Os usuários da rede social, comovidos com os relatos da mãe de Miguel, usaram seus perfis para lamentar a perda da criança e pedir por justiça.

Reprodução/Twitter
Mirtes Renata e Miguel Otávio. O menino, de 5 anos, morreu na último terça-feira (02) - FOTO:Reprodução/Twitter

Comentários

Últimas notícias