ALIENAÇÃO

Governo do Estado faz leilão para vender 18 imóveis

O leilão será on line e ocorrerá em três etapas. Os imóveis que não receberem lances na primeira etapa (praça) podem ir para a segunda com um desconto de 20%. Na terceira etapa, o desconto pode ser de 40%

Angela Fernanda Belfort
Angela Fernanda Belfort
Publicado em 16/03/2021 às 19:24
Notícia
Ricardo B. Labastier/Acervo JC Imagem
RECIFE Prédio da AIP, na Dantas Barreto, tem dez salas disponíveis - FOTO: Ricardo B. Labastier/Acervo JC Imagem
Leitura:

O Governo do Estado de Pernambuco - via Secretaria de Administração (SAD) -, está colocando a venda 18 imóveis localizados em diferentes municípios do Estado que podem ser vendidos em um leilão na modalidade online. A comercialização dos mesmos ocorre em três praças (etapas), podendo chegar até descontos de 40% na última praça. Os lances podem ser dados desde a última segunda-feira (15). O imóvel mais barato é uma sala no antigo prédio da AIP, na Dantas Barreto, que pode sair por R$ 26 mil na última praça e o mais caro é um terreno em Petrolina que custará R$ 5,3 milhões na terceira praça do leilão. Na primeira etapa do evento, a sala do AIP sai por R$ 44 mil e o terreno em Petrolina fica por R$ 8,9 milhões.

>> Leilão on line do Detran oferta 497 veículos, veja como participar

"A primeira praça poderá receber lances a partir do dia 15 de março às 9h e se encerra no dia 30 de março às 10h. A segunda praça pode ter lances a partir do dia 30 de março das 10h às 18h, com deságio de 20% sobre o valor mínimo inicial de oferta, caso não seja arrematado na primeira praça. E na terceira praça o envio de lances pode ocorrer do dia 31 de março às 10h indo até o dia 7 de abril às 10h com deságio de 40% sobre o valor mínimo inicial de oferta", resume o leiloeiro oficial do evento Renato Gracie. Nos leilões, os imóveis só são disponibilizados na segunda praça se não receberem lances na primeira. E o mesmo ocorre com a terceira, que só comercializa os imóveis que não foram arrematados na segunda.

Os interessados podem dar um sinal de 10% e parcelar o restante a ser pago em até 60 meses. Os lances podem ser dados pelo site www.gracieleiloes.com.br, onde também estão todos os documentos e informações de como as pessoas podem participar do leilão." Os imóveis leiloados têm um perfil comercial. Não são para habitação", resume Renato. Ele não cita quanto o leilão pode arrecadar, porque esse total depende se os imóveis serão arrematados na primeira praça ou na última, quando o desconto do preço chega a 40%.

"O leilão é uma boa forma de arrecadar com a venda destes imóveis de uma forma transparente, porque o valor arrecadado vai depender do interesse das pessoas. A empresa cadastrada pelo governo do Estado fez uma avaliação técnica e esta pode ser uma ótima oportunidade", comenta Renato Gracie.

Segundo o secretário Executivo de Administração do Estado, Luís Eduardo Antunes, estão sendo leiloados imóveis que não estavam sendo usados pelo governo de Pernambuco. "A nossa intenção é fazer uma gestão, porque esses imóveis desocupados geram despesas, como vigilância, manutenção mínima, entre outras coisas", argumenta.

Entre os 18 imóveis a serem leiloados, 10 são salas no antigo prédio da Associação de Imprensa de Pernambuco (AIP) que, segundo o próprio site do leilão, está sem elevador, sem energia e sem água. As unidades ficam no nono, décimo, décimo primeiro e décimo segundo andar e estão indo a leilão por preços a partir de R$ 40 mil (na primeira praça) e uma delas pode ser comprada até por R$ 26 mil na última praça.

DESTAQUES

Os 18 imóveis foram divididos em lotes. O imóvel mais caro é um terreno em Petrolina com 5919 metros quadrados que pode ser arrematado pelos seguintes valores, respectivamente, na primeira praça, segunda e terceira (R$ 8,958 milhões; R$ 7,166 milhões e R$ 5,3 milhões). O segundo é o Antigo Matadouro de Goiana com 2,3813 hectares e os seguintes valores R$ 1,770 milhão; R$ 1,416 milhão e 1,062 milhão (também na terceira praça). O terceiro é um terreno em Salgueiro com 17.432 metros quadrados que está avaliado nos seguintes valores: R$ 1,765 milhão; R$ 1,412 milhão e R$ 1,059 milhão na última praça.

O quarto imóvel mais caro fica na Rua Dom Bosco, 1185, na Boa Vista, área central do Recife, com área construída de 466,5 metros quadrados e pode ser arrematado por R$ 1,6 milhão; R$ 1,3 milhão e R$ 984 mil (na terceira praça). E o quinto mais caro é formado por duas salas na Rua Floriano Peixoto, 780, no Bairro de São José, centro do Recife. A sala 1 tem 698 metros quadrados e a sala 2 com 204 metros quadrados. Os valores são R$ 706,4 mil na primeira praça; R$ 565 mil na segunda praça e R$ 423 mil na terceira. Mais informações podem ser obtidas no site oficial do leiloeiro www.gracieleiloes.com.br.

 

 

Comentários

Últimas notícias