EMPREENDIMENTO

Recife Antigo ganha apartamentos de até 68 m² com possibilidade de aluguel por dias ou semanas; conheça os imóveis

Projeto imobiliário integra o Moinho Recife Business & Life, da Revitalis, que vai transformar, no Bairro do Recife, a construção onde funcionava a moagem de trigo

Lucas Moraes
Lucas Moraes
Publicado em 27/05/2021 às 21:24
Notícia
Divulgação
Fachada do empreendimento residencial, no Recife Antigo - FOTO: Divulgação
Leitura:

Foram lançados nesta quinta-feira (27), no Recife, os residenciais Silo 240 e Silo 215. Os empreendimentos residenciais integram o Moinho Recife Business & Life, da Revitalis - que vai transformar, no Bairro do Recife, a construção onde funcionava a moagem de trigo em um espaço com moradia, comércio, serviços e lazer. Da Moura Dubeux, os blocos residenciais contam com apartamentos de até 68 metros quadrados e possibilidade de locação por demanda (dias ou semanas) através da startup Housi. As obras devem gerar 120 empregos ainda este ano, na construção dos residenciais que têm um Valor Geral de Vendas de R$ 70 milhões. 

Os residenciais, que têm a formação de um grupo no regime de condomínio fechado, têm valor médio de R$ 7 mil por metro quadrado.  Ao todo são 253 unidades, sendo 2 lojas e 251 unidades residenciais tipo studio, de 1 quarto e 2 quartos, com metragens que variam de 19,9 m² a 68 m², todos com cozinha e banheiro.

O projeto é assinado pelo arquiteto Bruno Ferraz e considera o perfil do público que deve residir no lugar. A aposta é num modelo que agregue tecnologia, desde a disponibilidade de internet veloz nos espaços comuns a fechaduras digitais, aquecimento na piscina e controle de acesso.

A construtora esperar obter 100% de adesão em até 30 dias. O lançamento do Silo 240 e Silo 215 marca também o primeiro projeto de transformação imobiliária, retrofit, realizado pela Moura Dubeux em Pernambuco.

Divulgação
Fachada do empreendimento residencial, no Recife Antigo - Divulgação

 

“O projeto dos residenciais remete a um conceito de transformação, será uma releitura do bairro central da Ilha do Recife com moradias, lojas, estacionamento, trazendo mais vida para a região e certamente um indutor de uma total mudança para a área central da cidade”, afirma o CEO da Moura Dubeux, Diego Villar. 

Da área total do projeto, 10 mil m² serão de construção residencial, que terão obras iniciadas ainda em 2021 – período que deve gerar 120 empregos diretos e indiretos. A entrega está prevista em até três anos.

As características originais dos imóveis serão preservadas, mas a estrutura e instalações serão totalmente revitalizadas e atualizadas. 

O objetivo é atender o público que trabalha ou tem uma relação com o Bairro do Recife. "Teremos uma ampla gama de interessados, clientes que desejam morar na região central do Recife com todo o serviço que o empreendimento dispõe, e investidores que buscam rentabilidade através de locação”, afirma o diretor da Moura Dubeux, Homero Moutinho. 

Gestão

Na gestão dos imóveis, a construtora fechou parceria com a startup Housi, especializada em gestão e locação digital de apartamentos.  Ao assumir o papel de uma “imobiliária sob demanda”, a startup cobra um taxa administrativa em cima do valor da locação. Para garantir maior rentabilidade, estão no leque dos empreendimentos uma gama de serviços como mobília, assinatura de aplicativos, lavanderia e horta compartilhada, coworking, coliving, mercado de conveniência e a flexibilidade para locação, podendo ser de um dia até anos, mesmo tratando-se de imóveis residenciais.

A Housi será responsável pela solução de qualquer problema relacionado à manutenção e limpeza, entre outras questões do dia a dia. Além disso, ela disponibilizará alguns apartamentos decorados e mobiliados, com plataforma de gestão de pagamento de contas do imóvel.

O Silo 240 terá 8 pavimentos, e o Silo 215, um total de 11. Os dois empreendimentos terão um rooftop, com uma passarela interligando os edifícios, para oferecer aos moradores área de lazer e serviços, como piscina com borda infinita, bares de apoio, terraço coberto e descoberto, salão de festas, lavanderia, fitness center, entre outros espaços de uso comum.

Além disso, o Silo 215 terá, no térreo, duas lojas comerciais. Um total de 124 vagas do edifício garagem do Moinho serão exclusivas para os moradores dos edifícios.

Moinho

As instalações do antigo Moinho Recife foram colocadas à venda pela Bunge, em 2016, e arrematadas em leilão pela empresa Revitalis, formada pelo Grupo Moura e membros das famílias Tavares de Melo e Petribu. 

A área vai se transformar em um complexo multiuso. Estão previstas a construção de 124 salas comerciais, um hotel com 84 unidades e o residencial, além de prédio garagem com 675 vagas e espaços de convivência.

 

 

Divulgação
Fachada do empreendimento residencial, no Recife Antigo - FOTO:Divulgação

Comentários

Últimas notícias