Jogos Olímpicos

Guilherme Costa piora tempo na final e fica em último nos 800m em Tóquio

Natação brasileira conquistou apenas uma medalha de bronze, até o momento, com Fernando Scheffer

Davi Saboya
Davi Saboya
Publicado em 29/07/2021 às 0:37
Notícia
SATIRO SODRÉ/SSPRESS/CBDA
Guilherme Costa ficou muito longe do pódio olímpico - FOTO: SATIRO SODRÉ/SSPRESS/CBDA
Leitura:

ESTADÃO CONTEÚDO

O nadador Guilherme Costa terminou na oitava e última posição a final dos 800 metros livre nos Jogos Olímpicos de Tóquio, nessa quarta-feira, com o tempo de 7min53s31. O campeão olímpico foi o norte-americano Robert Finke (7min41s87), seguido do italiano Gregorio Paltrinieri (7min42s11) e do ucraniano Mykhailo Romanchuk (7min42s33). A natação brasileira continua com apenas um pódio nesta Olimpíada, conquistado por Fernando Scheffer, bronze nos 200m livre.

LEIA MAIS

Adriano Imperador posta mensagem de apoio para Simone Biles: "Passei por isso e até hoje sou questionado"

Horários Olimpíadas 2020: veja as partidas e disputas desta quinta (29)

"Questão da saúde mental há muito tempo tem sido subestimada", diz psicóloga sobre drama de Simone Biles

Brasileiro reclama de comportamento em quadra de Djokovic, que rebate: 'Sério?'

Goleira Pernambucana Bárbara tem bate-boca pesado com atleta paralímpica, veja

Guilherme Costa, também conhecido como Cachorrão, havia se classificado para a decisão com o quinto melhor tempo geral (7min46s09), quando estabeleceu o novo recorde sul-americano da prova. Nesta quarta-feira, no entanto, ele nadou quase sete segundos mais devagar. Começou a prova em um ritmo forte, fez a primeira virada na segunda posição, mas depois caiu para a oitava colocação e não conseguiu mais se recuperar.

Na prova dos 400 metros, sua distância preferida, ele já havia tido uma estreia frustrante em Tóquio. Guilherme Costa falhou na classificação e acabou ficando de fora da briga por medalhas.

Aos 22 anos, ele é um dos talentos da nova geração da natação brasileira e busca abrir caminho em provas de longa distância, já que o Brasil tem mais tradição em disputas de velocidade. Cachorrão, atualmente, é recordista sul-americano dos 1.500m, 800m e 400m livre.

Ele volta à piscina do Centro Aquático de Tóquio nesta sexta-feira, às 8h34 (horário de Brasília), para disputar os 1 500m livre.

Comentários

Últimas notícias