Cuidado

Náutico abre chance de usar dois times em provável choque de datas entre NE e PE

Retorno da Copa do Nordeste para o dia 21 e a indefinição para o Campeonato Pernambucano abrem esta possibilidade para o Timbu, que considera botá-la em prática

Klisman Gama
Klisman Gama
Publicado em 08/07/2020 às 18:56
Notícia
Caio Falcão/CNC
Alvirrubro quer evitar expor atletas a uma sobrecarga que acarrete em mais lesões - FOTO: Caio Falcão/CNC
Leitura:

A volta da Copa do Nordeste, marcada para o dia 21 de julho é uma data comemorada pelo Náutico. Ter a certeza da retomada do futebol era a pretensão dos clubes, mas surge a preocupação sobre o choque de datas do Campeonato Pernambucano com o Nordestão, já que a Secretaria de Saúde do estado ainda não autorizou o retorno por aqui. Nisso, com menos datas, haverá jogos com intervalos muito curtos entre si e o deslocamento de Salvador para o Recife complica a situação. A recuperação dos jogadores fica comprometida e aumenta o risco de lesões. Por isso, a direção do Timbu garante que não irá submeter os atletas a um ritmo acima do normal e não descarta a possibilidade de jogar com dois times diferentes em cada competição.

"O choque de datas é um problema. Você tem o estatuto do torcedor, têm legislações que colocam que as partidas não podem ocorrer em um intervalo menor do que 72 horas. Agora, se o momento não permite outra possibilidade, teremos de nos enquadrar. O Náutico não irá submeter seus atletas a um esforço além do normal, não vai expor o atleta a uma situação que ele não tenha condição de responder, não somente pela saúde do atleta, mas pelo planejamento que temos até o final do ano. Pretendemos avançar nas duas competições. Não iremos abrir mão de uma em detrimento da outra e, se porventura tivermos de jogar com times diferentes, nós iremos jogar", afirmou o vice-presidente de futebol do Timbu, Diógenes Braga.

Uma das grandes preocupações trazidas por esta sobrecarga são as lesões. Algo que vem assombrando o Náutico em 2020. Desde o começo da temporada, a equipe sofre com a perda de jogadores por grandes períodos, como aconteceu com os atacantes Álvaro e Matheus Carvalho, com ruptura ligamentar no joelho, o zagueiro Ronaldo Alves, que rompeu o tendão de Aquiles, e ídolo Kieza, que teve problemas no tornozelo e não conseguiu emendar uma grande sequência de jogos. Com isso, a ideia é de preservar para que isso não aconteça de novo. Além do mais, esse revezamento, caso haja, reforça a confiança da cúpula alvirrubra com o plantel que tem em mãos.

"Confiamos em todos os jogadores que estão aqui. Precisamos ter uma responsabilidade muito grande, pois o Náutico já foi muito penalizado esse ano com perda de atletas e nós não iremos arriscar. Esse ano nós conseguimos ter no time, e no elenco, uma quantidade enorme de jogadores que conseguem decidir uma partida e não podemos arriscar isso. Teremos que trabalhar com o grupo e provavelmente usá-lo todo", concluiu Diógenes Braga.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias