Correções

Ataque do Náutico ainda não atendeu expectativas criadas e mira correções

Trio de ataque formado por Kieza, Erick e Thiago ainda não deslanchou e o técnico projeta melhorias para o começo da Série B

Klisman Gama
Klisman Gama
Publicado em 30/07/2020 às 18:54
Notícia

ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Setor ofensivo do Náutico tem deixado a desejar e não cumpriu com as expectativas geradas - FOTO: ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Leitura:

O Náutico realizou quatro jogos nesta volta do futebol após a pandemia do novo coronavírus. Com desfalques e um desempenho abaixo do esperado, acabou eliminado na fase de grupo da Copa do Nordeste, para o Bahia, e no Campeonato Pernambucano, para o Santa Cruz. Nas quatro partidas, cinco gols marcados e seis sofridos. Porém, no Clássico das Emoções, apesar do empate no tempo normal, houve o melhor desempenho mostrado pela equipe.

Na parte ofensiva, fica a maior crítica. Por um lado, o Timbu criou várias situações de gol, seja em cruzamentos ou em jogadas trabalhadas. Só que a pontaria ainda não está boa. Daí surgem as cobranças do torcedor por um melhor desempenho do trio formado por Erick, Thiago e Kieza. Os três jogadores geraram muita expectativa, mas ainda não a cumpriram. Ponto que o técnico Gilmar Dal Pozzo pretende melhorar para o início da Série B.

 

“Nós temos, principalmente, a questão da finalização, pois hoje nós criamos cinco ou seis oportunidades, mas isso se arruma com trabalho. Eu estaria me preocupando mais se a equipe não criasse. Colocamos a bola no chão, a nossa estratégia deu certo, procuramos jogar com o Kieza e o Jorge Henrique com liberdade. Então é mais a hora da definição e isso só se arruma com trabalho. Esse é o nosso grande desafio”, disse o comandante do Náutico.

Defensivamente, o encaixe funcionou melhor. Os espaços na frente da área, tão criticados enquanto Luanderson atuou como cabeça de área, foram bastante amenizados com Rhaldney. O prata da casa teve uma das suas melhores atuações com a camisa do Náutico. Porém, a saída de bola da equipe sofreu com vários erros, amenizados ao longo da partida. Mas a melhoria da defesa do Náutico, que passou o duelo sem ser vazada, foi um fator exaltado por Dal Pozzo.

“Foi um jogo em que não tomamos gol, algo que não acontecia há um bom tempo e contra uma bela equipe. Se buscarmos o histórico do Santa Cruz neste ano, em praticamente todos os jogos eles fizeram gols. Foi um teste muito forte e nós temos essa convicção, essa certeza, de que estamos no caminho certo. Mas sabemos que temos o desafio de fazer os ajustes nos próximos 10 dias e iniciar bem a Série B contra o Avaí”, arrematou o treinador.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias