Retorno

Zagueiro fala do apoio recebido em casa para poder voltar bem ao Náutico

Ronaldo Alves se lesionou gravemente em março, passou por um processo longo de recuperação e encontrou grande suporte na família para voltar motivado para defender as cores do Timbu

Klisman Gama
Klisman Gama
Publicado em 18/10/2020 às 10:24
Notícia

Foto: Léo Lemos/Náutico
Zagueiro rompeu o tendão de Aquiles no Clássico das Emoções no Arruda e passou sete meses longe dos gramados - FOTO: Foto: Léo Lemos/Náutico
Leitura:

Foram sete meses de espera, longe dos gramados, longe do que mais gosta de fazer. Segundo o próprio Ronaldo Alves, nunca havia passado por uma lesão tão séria nos seus 11 anos de carreira profissional no futebol. Foram meses bastante difíceis para o zagueiro, que retornou ao Náutico depois de quase quatro anos para iniciar sua terceira passagem no clube. Ele se lesionou no Clássico das Emoções do dia 1 de março, no Arruda, em partida válida pelo Campeonato Pernambucano. Em um lance sozinho, desabou no chão com muitas dores. Saiu de maca, chorando. Outra cena marcante foi a dele saindo carregado do estádio, após o fim da partida, sem conseguir colocar o pé no chão. Cenas que passaram pela mente de Ronaldo, mas deram vaga a outras melhores.

Durante toda a recuperação, o principal suporte do defensor, além do apoio dado pelo clube, veio da família. A esposa e duas filhas foram fundamentais para Ronaldo Alves se manter firme, motivado, em busca de voltar da melhor maneira possível para defender o Timbu. Agora, recuperado e vindo de uma rotina de treinos com o restante do elenco nas últimas semanas, o xerife alvirrubro não vê a hora de voltar a atuar.

“Primeira vez que eu passei por um tipo de lesão mais grave, séria. Minha recuperação foi muito boa diante de toda essa pandemia. Continuei vindo ao CT todos os dias, me dedicando muito aqui no clube, na minha casa, fazendo o possível para que a recuperação fosse a melhor possível. Foi bem tranquilo, sempre me senti muito fortalecido para esse momento. me apeguei na minha família, minhas filhas. Minha esposa foi uma grande parceira, companheira neste momento, e minhas filhas estavam a todo momento preocupadas comigo, perguntando quando eu voltaria a jogar. Talvez esse momento esteja próximo e estou muito feliz por isso. Agora é trabalhar, dar continuidade naquilo que eu vinha desempenhando e estou muito feliz de poder retornar a fazer aquilo que Deus me deu o dom”, afirmou o defensor.

Neste ano, Ronaldo Alves disputou apenas 10 jogos pelo Náutico e marcou um gol. Com ele em campo, foram cinco vitórias, três empates e duas derrotas. Agora, durante a turbulência no Timbu, ele poderá formar a dupla de zaga com Camutanga pela primeira vez. Algo que era planejado pelos torcedores alvirrubros desde o começo da temporada como a dupla ideal para o sistema defensivo da equipe. Mesmo durante uma fase tão complicada dentro e fora de campo, Ronaldo Alves sabe da responsabilidade que tem e tenta manter a serenidade ao lado dos companheiros para tirar o Náutico desta situação.

“A gente procura passar tranquilidade e confiança no dia a dia para que cada um possa exercer o seu melhor dentro de campo. A gente está sempre passando confiança, esperando que cada um possa fazer o seu melhor e que, juntos, vamos superar esse momento de instabilidade e vamos voltar a vencer”, completou.

Seja um assinante JC.

Assine o JC com planos a partir de R$ 1,90 e tenha acesso ilimitado a todo o conteúdo do jc.com.br, à edição digital do JC Impresso e ao JC Clube, nosso clube de vantagens e descontos que conta com dezenas de parceiros.

Assine o JC

Comentários

Últimas notícias