Série B

Renovação: Técnico do Náutico minimiza parte financeira e foca na competitividade para 2021

Hélio dos Anjos projetou um time que possa 'sofrer' por objetivos maiores nas competições desta temporada

JC
Cadastrado por
JC
Publicado em 26/01/2021 às 15:42 | Atualizado em 26/01/2021 às 16:30
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
O técnico Hélio dos Anjos negou que tenha tido qualquer atrito com o vice-presidente Diógenes Braga, quando decidiu deixar o Náutico - FOTO: BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Leitura:

Contratado com a missão de livrar o Náutico do rebaixamento à Série C, o técnico Hélio dos Anjos cumpriu o objetivo traçado com uma rodada de antecedência no empate em 0 a 0 contra o Cruzeiro fora de casa. O trabalho de recuperação do comandante foi fundamental na manutenção do Timbu na Série B, já que a equipe alvirrubra estava desacreditada na competição, mas teve uma reação precisa para somar 23 pontos em 16 jogos e se garantir mais um ano na Segundona. Agora, com o Timbu respirando aliviado, a diretoria alvirrubra tem o interesse na permanência do técnico, que por seu lado, também deseja continuar à frente do clube. Porém, para uma renovação de contrato, o comandante colocou a parte financeira em segundo plano, apontando que seu principal objetivo é ter uma equipe mais competitiva para a temporada 2021.

“Não tenho como não externar aquilo que estou sentindo. Tenho vontade naturalmente de dar sequência no nosso trabalho aqui, porque criou-se um ambiente maravilhoso em prol do próprio Náutico. A gente precisa discutir detalhes. Não trabalho somente pensando no contrato financeiro. Eu gosto muito de discutir o contrato de trabalho, aquilo que nós vamos ter em relação a fortalecer o elenco, em melhorar a estrutura interna, porque hoje o futebol é muito competitivo. Nós temos que estar focando em todas as formas”, explicou em entrevista ao comentarista Ralph de Carvalho, da Rádio Jornal, antes de completar afirmando seu desejo de brigar pelo acesso na próxima Série B.

 

“Sou um treinador que não tenho porque ser aventureiro. Então se tem um bom ambiente, uma boa condição de trabalhar, de ter um time competitivo que vai buscar algo mais, porque nós buscamos algo muito importante e temos que parabenizar todos do clube que desenvolveu muito desde que chegamos em relação a essa manutenção na Série B. Mas a gente sabe que pela grandeza do Náutico, não podemos nos contentar com isso, com sofrimento. Nós podemos até sofrer, mas por algo muito maior do que sofremos nessa temporada”, almejou Hélio dos Anjos.

UNIÃO

De acordo com o técnico, para conseguir alcançar o objetivo de manter o Náutico na Série B foi preciso uma união de todos, que passaram a vivenciar mais o dia-a-dia do clube. Neste contexto, segundo Hélio dos Anjos, estão envolvidos a comissão técnica, os atletas, a diretoria, os funcionários do clube, mas também torcedores alvirrubros que contribuíram de forma direta ou indireta para ajudar o clube num momento de dificuldade.

“No futebol, eu aprendi que não tem como você fazer nada sozinho. Gostaria de deixar bem claro que tive um apoio irrestrito da direção, que sempre esteve motivada e procurando motivar. A gente sabe que o Náutico é muito forte fora do Náutico. Ou seja, os alvirrubros que colaboraram em todos os momentos com a gente também fazem parte deste processo. O grupo de trabalho, funcionários, a comissão técnica. Esse grupo de apoio foi muito importante. Também tenho o meu modo de trabalho, onde focamos em viver mais o clube, envolvendo jogadores, comissão, departamento médico. Todo mundo envolvido para criar uma situação e chegar nesse objetivo. Gostaria de externar publicamente toda a colaboração que tivemos, porque ninguém faz nada sozinho”, concluiu.

 

Comentários

Últimas notícias