Situação complicada

Santa Cruz: Dirigente acha difícil que Campeonato Pernambucano seja retomado

O vice-presidente do Tricolor, Tonico Araújo, avaliou o cenário de dificuldades financeiras dos clubes pernambucanos

Klisman Gama
Klisman Gama
Publicado em 23/03/2020 às 20:53
Notícia
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Jogo Santa Cruz 2X1 Decisão, no dia 15 de março, no Estádio do Arruda, teve portões fechados por conta do coronavírus. - FOTO: BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Leitura:

A decisão de dar ou não por encerrado o Campeonato Pernambucano 2020 ainda tem sido bastante discutida, por conta do cenário vivido pela pandemia do novo coronavírus. Para se ter uma ideia se conseguirá voltar ou não, depende do quanto tempo durará a suspensão do futebol brasileiro. Com isso, na visão do vice-presidente do Santa Cruz, Tonico Araújo, se a paralisação durar mais que dois meses, dificilmente o Estadual será retomado pelas dificuldades financeiras dos clubes. Sobre um possível título para o Tricolor, que liderava a competição com folga, tendo somado 22 pontos, ele preferiu que seja algo a se discutir com os demais.

"A gente tem que ver uma coisa chamada realidade. A Federação tem condição de ajudar aos clubes? Ao que me parece e que ouvi falar, ela não tem condições de ajudar. Segundo, os clubes têm condições de se manterem durante esse período? Depende de quanto for o período. Se for três meses, quatro meses, acho muito difícil dos clubes terem condições de atender com esse período parado. Acho muito difícil, agora a solução qual é, temos que ter uma discussão. Como torcedor e amante do Santa Cruz, eu gostaria que terminasse assim. Agora, a regra não foi estabelecida em pontos corridos. O Santa é líder absoluto, mas a regra não estabelecia a crise. É uma coisa que tem que ser discutida com bom senso, muita seriedade, pois não é uma coisa que é brincadeira que está acontecendo", avaliou o dirigente coral em entrevista a João Victor Amorim, na Rádio Jornal.

Tonico Araújo lamentou o fato da crise que se desenha acontecer no futebol pernambucano. Com as mudanças, vários clubes ainda tentam fechar as contas e podem acabar dispensando jogadores por não ter condições de pagar. Para que isso não aconteça, o prazo precisaria ser curto, até de um mês e meio. Mas, acima disso, está acima a questão de saúde da população, dos próprios atletas e funcionários. Assim, restaria encarar o possível cenário com um encerramento antecipado do Estadual.

"Se for crise de pouco tempo, acho que poderá, pelas informações que tenho, que há espaço de um mês para ter volta e dá para sustentar. Um mês e um mês e meio dá para sustentar. Se não, pelos números oferecidos diariamente, tem de parar o campeonato. Lamento, mas não tem outra solução. É uma coisa maior, é a realidade. Ela vai falir muitas empresas e essas empresas vão ressurgir. Vai depender dos governos, financiamento, empréstimo. Mas esperar da Federação recursos, eu não acredito. A Federação Pernambucana me parece, informação que eu tenho, não tem recursos para ajudar os clubes", concluiu.

Comentários

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias